Torne-se perito

Ioga, brunch e piscina: uma boa combinação no Sheraton de Cascais

Frutas, vegetais e carnes magras são a proposta da nutricionista Mariana Abecasis e do chef Tiago Vitorino para os próximos sábados.

Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR
Fotogaleria
DR

Ao aproximarmo-nos do Sheraton Cascais Resort vamos deixando para trás o aglomerado de casas e os pinheiros dominam cada vez mais a paisagem. É debaixo deles que Isabel Guerreiro, professora de ioga, nos convida para uma aula; as suas agulhas já secas acompanham o nosso brunch e é nas suas sombras que usufruímos da piscina. É esta a proposta para os próximos sábados.

As granolas, os pães de cereais, as frutas frescas, os legumes e vegetais – alguns crus e outros cozidos –, os pratos quentes com salmão no forno e frango, os sumos naturais e as sobremesas de chia e quinoa, entre outros. A nutricionista Mariana Abecasis juntou-se ao chef Tiago Vitorino e juntos criaram um brunch onde o saudável domina – pouco sal, nada de gorduras que não sejam as naturais e o mesmo se diz do açúcar – e, no entanto, é tudo saboroso. 

PÚBLICO -
Foto
A nutricionista Mariana Abecasis e o chef Tiago Vitorino DR

À Fugas, a nutricionista explica que procurou conjugar três critérios para fazer o brunch saudável: "Alimentos saudáveis e frescos; tendências actuais – é fundamental respeitar as tendências e dar às pessoas aquilo que elas procuram; e combinação de sabores – neste ponto o chef Tiago Vitorino teve um papel fundamental e o resultado final está à vista". A ideia, acrescenta, é "dar resposta a todos os gostos".

Na sala do restaurante, com vista larga para a cozinha, os produtos estão expostos e convidam a que se siga uma narrativa. Por exemplo, podemos começar por pegar numa taça e compô-la com granola, frutas e iogurte natural; ou enchê-la de agrião, cenoura, cebola roxa, milho, alcaparras, especiarias ou outras ervas e temperar com azeite e vinagre (ou não temperar, de todo). Depois, há uma sopa de cenoura que é obrigatória, assim como um salmão (às vezes pode ser robalo) com couve pak choy, gengibre e citronela ou um peito de frango com legumes. Pode ainda preencher o prato com batata-doce assada com legumes mini e requeijão. 

Há um vaivém entre a sala do restaurante e a esplanada, pois o dia está quente e apetece usufruir do ar livre. O copo mantém-se sempre cheio, assim como os pratos vazios vão desaparecendo da mesa. E sempre no reino do saudável: as sobremesas são pudim de chia, abacaxi com malagueta e hortelã, bolo de chocolate e coco, espetadas de fruta e outras iguarias que o chef prepara para o dia. Se, depois de tudo isto, sentir a falta daquele doce, mesmo, mesmo doce, poderá fazer como aquele pai que pede panquecas com nutella para o filho – e lá chegam elas, discretamente, à mesa.

PÚBLICO -
Foto
A professora de ioga Isabel Guerreiro faz a aula se houver no mínimo cinco interessados

"Com esta iniciativa procurámos mostrar que é possível fazer escolhas saudáveis e, ao mesmo tempo, bastante saborosas, sem ter que abrir mão dos programas sociais e das refeições fora de casa!", resume Mariana Abecasis.

O Sheraton oferece ainda um brunch ao domingo, esse com um menu mais tradicional, com queijos e enchidos, com saladas, buffet quente e grelhados, assim como com pratos a pensar nas crianças.

Manter o equilíbrio

“You are what you eat” é a frase que decora os vasos com alfazema e que nos chamam a atenção para a preocupação com o que devemos pôr no prato. Mas antes do brunch o convite é para fazer uma aula de ioga com Isabel Guerreiro, que fez a sua formação na Índia. É com simpatia que a professora pergunta em que nível cada um dos alunos está (a maior parte é iniciante) e depois desvaloriza a nossa falta de prática ao dizer num inglês com sotaque indiano: "you know how to breathe, you can do ioga". E assim é.

A aula começa com calma e muita respiração. "Inspirar... expirar... inspirar...", vai repetindo enquanto circula por entre os alunos. Depois começam os exercícios, todos bastante acessíveis. "Foquem-se num ponto", pede a professora, que dá aulas em resorts vizinhos, assim como a título particular. O objectivo é ajudar-nos a manter o equilíbrio e os pontos são muitos, o difícil é escolher entre os troncos das árvores, a piscina ou o espaço onde as crianças brincam, o chamado Brave Kids, com tendas de índios e insufláveis. A aula termina como começara, com respiração, e apetece ficar ali para sempre, mas há um brunch à nossa espera e, mais tarde, uma espreguiçadeira na piscina.

Quando se observa a piscina, com a sua forma original, é fácil descobrir em qual dos lados a água é aquecida – é aquele onde está mais gente. A piscina estará aberta até ao final de Outubro e depende muito da meteorologia a possibilidade de ser usada. Para já, a sombra dos pinheiros é fundamental para afastar o calor.

A Fugas visitou o Sheraton Cascais Resort a convite do mesmo.

Sugerir correcção