Incentivos às empresas vão chegar aos cinco mil milhões de euros

Reprogramação do PT2020 permitiu manter o ritmo de apoio às empresas. Até ao final do ciclo estão disponíveis 1700 milhões de euros para investimento em territórios no interior

Foto
LUSA/PAULO NOVAIS

No final do actual envelope comunitário negociado com Bruxelas no Portugal 2020, e agora renegociado no âmbito da reprogramação, as empresas terão recebido incentivos na ordem dos cinco mil milhões de euros. Esse é pelo menos o objectivo do Governo que assegura que, nesta recta final, as verbas destinadas a apoiar empresas e investimentos nos territórios do interior atingirão os 1700 milhões de euros.

De acordo com o relatório de Orçamento de Estado entregue na Assembleia da República, o Governo diz que nos sistemas de incentivos aprovados às empresas no Portugal 2020 estão já aprovados 13 mil projectos, que vão dinamizar um investimento de perto de nove mil milhões de euros, e que mereceram um financiamento comunitário de 4,7 mil milhões de euros.

Depois de ter começado, em 2016, com um programa de aceleração nos pagamentos às empresas (o Plano 100), os anos de 2017 e 2018 vão permitir, segundo o Governo, atingir a meta de pagamentos às empresas de 2.000 milhões ate final de 2018.

O ano de 2018 foi também o ano da reprogramação dos fundos comunitários, assegurando o executivo ter conseguido o objectivo de “manter o nível de apoio registado nos últimos anos”, pelo que tratou de “assegurar a dotação dos sistemas de incentivos às empresas”. “Assim, pretende-se apoiar até final do PT2020 um nível de investimento de 5 mil milhões de euros, dos quais 1,7 mil milhões de euros destinar-se-ão ao desenvolvimento dos territórios de baixa densidade populacional”, lê-se na relatório da proposta de orçamento de Estado.