Maioria dos portugueses quer acabar com a mudança da hora

Estudo de opinião da Aximage para o Correio da Manhã mostra que apenas 32,9% dos portugueses quer manter a hora como está. Governo tem opção contrária.

Foto
João HENRIQUES

Os portugueses não querem acertar os relógios duas vezes por ano. Numa sondagem realizada pela Aximage, divulgada esta sexta-feira pelo Correio da Manhã, 60,7% dos inquiridos manifestaram querer manter sempre a mesma hora.

O inquérito, que contou com 601 inquiridos e que tem uma margem de erro de 4%, não perguntou que hora única deve ser instituída, se a de Verão ou a de Inverno.

A Área Metropolitana do Porto e a Região Norte são as zonas do país onde mais pessoas querem o fim da mudança da hora, com percentagens que rondam os 68% favoráveis ao fim do actual regime horário.

Segundo a sondagem, há mais homens (38,6%) do que mulheres (27,7%) a defender a actual situação.

Num inquérito da Comissão Europeia, divulgado em Agosto, 85% dos votantes portugueses disseram querer acabar com a mudança de hora. Destes, 79% manifestou a preferência pela manutenção do horário de Verão durante o ano inteiro.

Se a abolição da mudança da hora for avante, nos meses de Inverno, o Sol pode vir a nascer depois das 9h com a hora de Verão o ano inteiro (GMT +1), enquanto no Verão haverá menos Sol à tarde se ficarmos sempre com a hora de Inverno (GMT).

Observatório diz que mudança da hora “é a melhor opção”

O Observatório Astronómico de Lisboa (OAL) defende a continuação dos dois regimes horários como a melhor opção, prevendo “impactos negativos” caso a situação actual se altere.

PÚBLICO -
Foto
Como seria o dia na Sertã (Castelo Branco) se tivesse a "hora de Verão" (GMT +1) durante todo o ano. Observatório Astronómico de Lisboa

O observatório sustenta também que os impactos vão ser grandes “sobretudo nas crianças”, que no período de Inverno “vão entrar na escola ainda de noite”.

Em declarações esta semana ao PÚBLICO, o director do OAL, Rui Agostinho, defende também que a actual mudança para a hora de Inverno ocorra no fim de Setembro, em vez de no fim de Outubro. Seria “mais benéfico para as pessoas”, acredita.

A título de exemplo, uma pessoa que acabe o trabalho às 17h30 com a mudança da hora em Outubro “de sexta-feira para segunda-feira passa a sair de noite”, o que “tem grande impacto”. No entanto, se a hora mudar no final de Setembro, esse impacto será “reduzido”, uma vez que, à hora de saída do trabalho, continua a haver Sol.

Costa diz que hora de Verão é para manter

O primeiro-ministro garantiu, em entrevista à TVI, que a escolha do Governo português é manter tudo como está: “Não vejo razão para que se contrarie a ciência”.

A decisão está agora nas instâncias europeias e deve ser tomada no próximo ano. No Conselho Europeu, onde o Governo Português se senta, o executivo deve defender que a hora se mantenha como está. Também o Parlamento Europeu vai ter de votar esta decisão.

PÚBLICO -
Foto
Como será a hora no próximo ano em Lisboa, com o regime dos dois horários. Observatório Astronómico de Lisboa

O fim da hora de Verão foi alvo de um inquérito online pela Comissão Europeia. O questionário teve mais de 4,6 milhões de respostas, uma participação recorde para uma consulta pública a nível da União Europeia. Ainda assim, as respostas representam uma ínfima parte da população de toda a União Europeia, cerca de 500 milhões de pessoas.