The Music Stylist: Sofia Hoffmann tem um projecto de "alta costura musical"

O projecto pretende trabalhar a música de forma personalizada através de playlists, composições ou concertos pensados à medida de cada espaço e evento.

Foto
DR

Todos nós já trauteámos a canção que estava a dar no café, escolhemos ficar mais tempo no bar porque a música era agradável ou deixámos de entrar na loja porque não estava ao nosso gosto. “O mais interessante é que muitas vezes as pessoas não sabem por que vão embora ou ficam”, afirma Sofia Hoffmann, criadora do The Music Stylist, serviço especializado que quer fazer uma curadoria musical adequada a determinado espaço, evento ou contexto. “No dia-a-dia, a música está presente mesmo de forma inconsciente, por isso é muito importante que um espaço tenha uma caracterização sonora e auditiva.”

Partindo da relação entre a música, as emoções e comportamentos, foi criado um conceito de “alta costura musical” que, segundo a também cantora de jazz, se define como a “identificação e selecção de sons e sonoridades indicados para cada lugar e momento”. Nesse sentido, o The Music Stylist organiza playlists, composições musicais, concertos e sessões de DJing, tendo por base o ambiente que o cliente quer criar. “Fazemos um perfil emocional para aferir as emoções que as pessoas deverão sentir naquele momento e, depois, transpomos essa informação para um perfil musical”, explica.

O projecto pretende tornar a música uma componente activa que possa acrescentar valor às experiências de portugueses e estrangeiros, colmatando, assim, aquela que é “uma lacuna do mercado turístico”, de acordo com Sofia Hoffmann. “Existem sítios fantásticos, mas onde a música não é trabalhada da melhor forma.” O crescimento do turismo em Portugal e a mudança dos hábitos de consumo impulsionaram a criação do serviço musical personalizado. “O consumidor procura cada vez mais adquirir experiências em vez de objectos”, afirma, notando que “há cada vez mais lojas, restaurantes e hotéis atractivos e, por isso, faz sentido trabalhar com outra atenção a componente auditiva”.

O projecto de curadoria musical pretende ser um factor de diferenciação face à infindável oferta da actualidade através do estabelecimento de uma relação emocional entre os clientes e as marcas. “Se as pessoas se sentirem bem, permanecem mais tempo e, provavelmente, voltam”, refere. A globalização, digitalização e instantaneidade do presente tornam especialmente relevante “o passa-palavra e todo o tipo de promoção que seja feita de consumidor para consumidor”.

O efeito das diferentes sonoridades nas emoções do dia-a-dia justificam um serviço premium, assim chamado pelo “nível de exclusividade e unicidade” do produto final. Além de desenhar o ambiente sonoro para determinado espaço e momento, o The Music Stylist faz um acompanhamento posterior do impacto que a música está a ter na nova dinâmica de clientes, marcas e produtos. “Podemos valorizar a música ao máximo e, com ela, valorizar cada momento, lugar e experiência”, conclui.