Juízes ameaçam protestar de forma inédita. "Para não se esquecerem mais de nós"

Associação sindical reuniu-se com deputados socialistas e percebeu que continua a não haver vontade de negociar com a classe: “O que aconteceu foi uma absoluta falta de respeito.”

Foto
Rui Gaudencio

A Associação Sindical de Juízes Portugueses promete reagir de forma inédita àquilo que considera ser a falta de vontade do grupo parlamentar socialista para negociar com a classe.

À saída de uma reunião com deputados do PS que teve lugar nesta quinta-feira, o presidente da estrutura sindical, Manuel Ramos Soares, lamentou que nada tenha evoluído relativamente às últimas conversas que a associação que dirige teve com os socialistas há mais de um ano, na Assembleia da República.

Em causa estão, por exemplo, questões salariais e relacionadas com a carreira. Depois de terem sido recebidos em Setembro do ano passado pelo grupo parlamentar do PS, os juízes desconvocaram a greve que tinham marcado para os dias 3 e 4 de Outubro — que, a realizar-se, comprometeria a validação dos resultados das eleições autárquicas no prazo previsto, uma vez que compete a estes magistrados levar a cabo essa tarefa no âmbito dos processos eleitorais.

“O que aconteceu hoje foi uma absoluta falta de respeito”, lamentou Manuel Ramos Soares. “Estamos exactamente no mesmo pé que no início." Interrogado sobre se a greve volta a ser uma hipótese, o mesmo dirigente respondeu: “Aquilo que irá acontecer nunca aconteceu antes. É para não se esquecerem mais de nós." Vai ser marcada uma assembleia geral de juízes para discutir o assunto para o próximo 3 de Novembro.

Reagindo a esta posição, o grupo parlamentar do PS diz que "continua a aguardar propostas de alteração ao estatuto dos magistrados judiciais" por parte do sindicato dos juízes."Não obstante a recusa da associação sindical em formalizar as suas pretensões, o grupo parlamentar permanece disponível para apreciar e discutir quaisquer propostas, caso esta venha a reponderar a sua posição", referem os socialistas em comunicado.