Furacão Michael atinge a Florida com ventos de 250 quilómetros por hora

Há notícia de duas mortes e de 500 mil pessoas e empresas sem electricidade.

Fotogaleria
Reuters/Jonathan Bachman
Fotogaleria
Reuters/JONATHAN BACHMAN
Fotogaleria
Reuters/JONATHAN BACHMAN
Fotogaleria
Reuters/JONATHAN BACHMAN
Fotogaleria
Reuters/JONATHAN BACHMAN
Fotogaleria
Reuters/CARLO ALLEGRI

O furacão Michael chegou ao estado norte-americano da Florida na noite desta quarta-feira como tempestade de categoria 4, trazendo ventos de 250 quilómetros por hora. Há registo de pelo menos duas mortes, uma delas uma criança, atingidas por árvores que caíram. Os danos materiais no noroeste do estado são elevados.

Após a chegada a terra, o serviço meteorológico reviu a intensidade da tempestade para a categoria 3. Segundo a emissora britânica BBC, trata-se da terceira tempestade mais intensa registada na história dos EUA a atingir um estado norte-americano com excepção das ilhas. Jason Gunderson, de um grupo de voluntários a ajudar nos esforços de resgate, contou à estação americana CNN que o trabalho estava dificultado por postes de electricidade derrubados e pelas árvores que caíram sobre casas.  

Além das árvores caídas, algumas arrancando terra com as raízes pela força dos ventos, habitantes descrevem o som da ventania, "como um motor de avião", e o estalido nos ouvidos quando a pressão atmosférica desceu. "Foi aterrorizador", disse Vance Beu, de 29 anos, que mora em Panama City Beach (Florida), ao diário britânico The Guardian

O sistema desloca-se agora para o estado da Geórgia. Naqueles dois estados, e no vizinho Alabama, 500 mil casas e empresas estão sem electricidade, diz a BBC. A NASA publicou um vídeo do furacão visto da Estação Espacial Internacional.

O governador da Florida, Rick Scott, alerta para um nível de “devastação inimaginável”, admitindo que esta pode ser a pior tempestade dos últimos 50 anos naquele estado, escreve a Associated Press. Foi feito um plano de evacuação e dada ordem de saída para 370 mil habitantes da zona, mas muitos terão ignorado o apelo, dizem as autoridades.

Michael deverá agora dirigir-se para a Costa Leste dos Estados Unidos, trazendo consigo chuvas para regiões que ainda estão a recuperar do furacão Florence, que atingiu o território em Setembro.