PSD contesta nomeação de nova directora dos serviços de higiene urbana de Lisboa

Sociais-democratas dizem que Ana Penedos "não tem currículo nem experiência no domínio da higiene urbana".

Paulo Penedos, que esteve envolvido no processo Face Oculta, é o marido da nova directora
Foto
Paulo Penedos, que esteve envolvido no processo Face Oculta, é o marido da nova directora ADRIANO MIRANDA

A nomeação de Ana Penedos por Fernando Medina, presidente da câmara de Lisboa, para a direcção municipal de higiene urbana está a ser contestada pelo PSD, que não a considera com conhecimentos suficientes para liderar esta área. Numa altura em que a cidade de Lisboa se debate com um grave problema da limpeza das ruas, os sociais-democratas criticam a escolha, lembrando que "Ana Penedos é mulher do conhecido socialista Paulo Penedos [condenado no caso Face Oculta] e fez parte do seu percurso político na JS e no PS com Duarte Cordeiro, actual vereador da CML."

Em comunicado, o PSD de Lisboa afirma que a nomeação de Ana Penedos poderá contribuir para “agravar a já enorme degradação dos níveis de serviço da higiene urbana na cidade”. A concelhia do partido refere ainda que a nova directora não tem currículo nem experiência no domínio da higiene urbana “para lhe ser confiada tal responsabilidade”.

O PSD de Lisboa, perante esta nomeação, quis reforçar a sua posição como denunciante da degradação dos serviços de higiene – em particular no que diz respeito à recolha do lixo. No mês passado, foi colocado um outdoor onde questionam se o lixo em Lisboa é uma epidemia sem solução. Nesta quarta-feira, alguns vereadores do PSD andaram pelo Bairro Alto, numa acção com vista a denunciar as falhas dos serviços de recolha de lixo e a apresentar propostas para as melhorias do serviço.

Algumas medidas poderão passar pelo investimento e adopção de “boas práticas internacionais, de organização e de competência” na gestão dos serviços de higiene da câmara. Os sociais-democratas exigem ainda que Fernando Medina assuma a responsabilidade política pela degradação dos serviços e que se “preocupe em escolher dirigentes em função das suas competências e experiencia” ao invés de “filiações partidárias e ligações familiares”.

A nomeação de Ana Penedos foi aprovada esta quinta-feira, em reunião de Câmara, apenas com o voto contra do PSD.

Texto editado por Ana Fernandes