Benfica lidera a tabela das multas em 2018-19

Comportamento incorrecto dos adeptos é o factor de maior peso no mapa de castigos da Liga.

Foto
NUNO FERREIRA SANTOS

Este arranque de temporada tem sido pródigo em punições disciplinares para episódios invulgares no futebol português, com base no cumprimento dos regulamentos em vigor. Do recente clássico entre Benfica e FC Porto também saiu um castigo provocado por uma escolha musical polémica, contribuindo para que os "encarnados" liderem, de forma destacada, o ranking dos clubes com maior volume de multas aplicadas em 2018-19.

Tem havido de tudo um pouco. Desde os 479 euros impostos ao Sporting pelo facto de a mascote dos "leões" ter importunado os intervenientes da superflash (a entrevista rápida aos jogadores que, desde o início da época, decorre ainda no relvado) após o embate com o Marítimo, até aos 765 euros gerados pelo corte "artístico" do relvado do Portimonense, na 7.ª ronda do campeonato, contrariando as indicações que prevêem a apresentação de faixas paralelas à linha do meio-campo.

Está tudo previsto nos regulamentos, aprovados pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), tal como estão previstas sanções para a violação dos deveres de correcção e urbanidade constantes no artigo 51.º, n.º1 do Regulamento de Competições, e artigo 19.º, n.º1 do Regulamento Disciplinar. Foi à luz deste quadro normativo que o Benfica foi punido com 765 euros de multa depois do clássico com os "dragões", depois de ter difundido, através da aparelhagem sonora do estádio, uma música associada às corridas de touros. Uma escolha entendida como uma clara provocação ao rival.

A prática não é virgem (já aconteceu algo de parecido no Estádio do Dragão), mas está longe de configurar o grosso das multas que são aplicadas aos clubes. É o comportamento incorrecto dos adeptos que, esmagadoramente, contribui para que o emblema que apoiam seja obrigado a abrir, frequentemente, os cordões à bolsa. No caso do Benfica, essa conduta (juntamente com a entrada de material pirotécnico no recinto) foi particularmente evidente nos jogos com Boavista e Sporting, nas 2.ª e 3.ª jornadas.

No total, estes dois jogos levaram os "encarnados" a desembolsarem 16.277 euros em multas, que perfaz mais de dois terços do valor global aplicado ao Benfica (19.261 euros) nas sete jornadas disputadas até à data no campeonato. Já distante, neste ranking dos castigos, que não contabiliza as coimas aplicadas aos jogadores, surge o Sp. Braga, com 18.018 euros (em grande parte explicados pela recepção ao Sporting), enquanto o FC Porto encerra o pódio, com 14.250 euros, que já incluem os 287 impostos a Sérgio Conceição por não ter envergado a braçadeira de treinador no Estádio da Luz.

Mais abaixo, no quarto lugar, entra nas contas o Boavista (13.752 euros), especialmente graças ao comportamento dos adeptos na 2.ª jornada, seguido do V. Guimarães (7479) e, já a maior distância, do Sporting (4056).