Melania acredita que pode ser a maior vítima de bullying do mundo

No programa Good Morning America, a primeira-dama norte-americana disse ainda que há pessoas na Casa Branca em quem ela e o Presidente não podem confiar.

Foto
A primeira-dama norte-americana na sua visita a África Reuters/POOL

Desde que chegou à Casa Branca que Melania Trump fez do combate ao bullying a sua causa. Uma das suas iniciativas chama-se Be Best e foi quando falava da mesma, numa entrevista ao programa Good Morning America, que a primeira-dama confessou que será "a pessoa que mais sofre de bullying no mundo".

"Eu posso dizer que sou a pessoa que mais sofre de bullying no mundo", disse Melania Trump, explicando que a sua campanha – apresentada em Maio passado e por causa da qual foi acusada de plágio por o projecto ser em tudo parecido com um promovido por Michelle Obama – se foca no incentivar pais e adultos a ensinarem as crianças a evitar as drogas, a serem bons cidadãos e a não intimidarem os outros, nas redes sociais ou em qualquer lugar. "Precisamos de educar as crianças para que, quando crescerem, saibam como lidar com essas questões", acrescentou.

Recorde-se que ainda Melania não era primeira-dama e já era criticada e ridicularizada nas redes sociais, por exemplo, quando plagiou um discurso de Michelle Obama, a ex-primeira-dama. Aliás, Melania está sempre a ser escrutinada no que faz, na forma como se comporta e como se veste – ainda esta semana, as redes sociais se debruçaram sobre o chapéu que usou na sua visita ao Quénia

Na entrevista televisiva, a primeira-dama também disse que há pessoas na Casa Branca em quem ela e o Presidente não podem confiar, embora não tenha citado nomes.