Facebook lança aparelhos para videochamadas com promessa de privacidade

Os novos Portal e Portal Plus têm a capacidade de acompanhar os movimentos dos utilizadores, que podem usá-los para ouvir música e fazer perguntas sobre o estado do tempo.

Foto
O objectivo do Facebook é aproximar videochamadas de conversas da vida real Facebook

O Facebook apresentou dois novos aparelhos, a que chama ecrãs inteligentes, que têm uma câmara e usam inteligência artificial para simplificar videochamadas dentro de casa. 

Com câmaras de 12 megapixéis cada, os ecrãs Portal e Portal Plus (com dez e 15 polegadas, respectivamente) têm a capacidade de acompanhar os movimentos dos utilizadores e mostrar a cara de quem está a falar numa conversa de grupo.

Além do serviço de mensagens do Facebook, os aparelhos têm a assistente artificial da Amazon, a Alexa. Pode ser usada para iniciar chamadas, pedir informação meteorológica, ou fazer em grupo actividades como ouvir música ou assistir a programas de culinária ou de notícias.

Os novos ecrãs inteligentes do Facebook chegam cerca de uma semana depois do mais recente escândalo da rede social: no final de Setembro, a empresa revelou que cerca de 50 milhões de contas foram comprometidas na sequência de um ataque informático.

Apesar de as câmaras do Portal conseguirem acompanhar os movimentos de pessoas, a empresa explica que o aparelho não usa reconhecimento facial para identificar ou seguir pessoas específicas. Basta tocar no ecrã para desactivar a câmara e o microfone. O aparelho vem também com uma tampa para colocar sobre a câmara. O Facebook garante que “não ouve, nem vê” as chamadas feitas (que são encriptadas).

“Os modelos foram concebidos para ajudar o utilizador a sentir-se mais próximo das pessoas na sua vida e fazer com que videochamadas fossem menos parecidas com chamadas e mais semelhantes a conversas na vida real”, lê-se no comunicado publicado pela empresa.

Para garantir a privacidade, o Facebook reforça ainda que não se podem gravar as chamadas directamente com os aparelhos. No entanto, para que a Alexa funcione, os ecrãs têm de gravar e enviar excertos da voz dos utilizadores para serem processados pelos servidores do Facebook. Esta informação pode ser apagada manualmente pelo utilizador, nas definições.

Há seis meses que o Facebook se preparava para lançar os Portal. Em Março a empresa decidiu atrasar o lançamento para se certificar que respeitavam a privacidade dos utilizadores. Na altura, a empresa enfrentava um forte escrutínio pelas suas práticas de privacidade e protecção de dados devido devido ao escândalo com a Cambridge Analytica, a empresa de consultoria de dados que terá acedido ilegalmente a dados de milhões de utilizadores do Facebook.

Ambos os aparelhos já estão disponíveis para pré-venda nos EUA, com o preço do modelo mais pequeno a rondar os 199 dólares e o preço do maior a rondar os 349 dólares.