Marega garante um baptismo de fogo para Cristián Lema na I Liga

Marega tem sido fundamental na estratégia ofensiva do FC Porto e será titular na Luz, este domingo.

Foto
Marega LUSA/HOMEM DE GOUVEIA

É uma das incógnitas para o clássico deste domingo, no Estádio da Luz: Sérgio Conceição vai lançar Soares de início ou vai guardar o brasileiro como trunfo para uma fase mais adiantada da partida? Se a utilização de Soares se mantém incerta, a presença de Marega no ataque portista ao Benfica é um dado adquirido e como conseguir parar a potência do maliano será um dos quebra-cabeças que Rui Vitória terá.

Depois de no início de temporada ter esticado a corda ao afirmar que “era o momento certo para tentar a sorte noutro lugar”, o que levou ao seu afastamento do plantel, o maliano regressou à equipa no final de Agosto após fazer um mea culpa. Ainda sem o fulgor que mostrou na temporada passada, Marega marcou apenas um golo nos seis primeiros jogos, mas a meio da semana, num momento de fragilidade dos portistas devido às ausências de Aboubakar e Soares, o maliano vestiu bem o fato de ponta de lança e fez o golo que garantiu ao FC Porto a primeira vitória na Liga dos Campeões.

A forma como Marega cumpriu a missão de ser o jogador mais adiantado da equipa é uma séria ameaça para Cristián Lema. Anunciado em Junho como o oitavo reforço do Benfica para 2017-18, o defesa central argentino tem demorado a impor-se na Luz e, há pouco mais de duas semanas, em declarações ao jornal Record, o seu empresário não escondeu o seu descontentamento: “Se não joga na Taça da Liga, a quarta competição em Portugal, vai jogar quando? Se calhar o melhor será mesmo sair em Janeiro.” No entanto, após uma sucessão de contratempos no centro da defesa benfiquista, Lema começa a ter as oportunidades que reivindicava.

Sem Jardel, lesionado, Lema foi suplente a meio da semana em Atenas, contra o AEK, e com a expulsão de Rúben Dias teve os primeiros minutos com a camisola do Benfica. O argentino, no entanto, entrou na pior fase dos “encarnados”. Neste domingo, ao lado de Rúben Dias, o ex-jogador do Newell’s Old Boys terá nova oportunidade, que, segundo o ex-internacional argentino Roberto Sensini, é à sua medida: “Quando mais duro é o jogo, quanto mais duro é o rival, mais o encanta.”