Venda de capital da Sonae MC pode chegar aos 33,7%

A fatia em bolsa da empresa que agrega o negócio do retalho alimentar do grupo Sonae pode ser alargada ou reduzida ao longo da oferta, em função da procura.

Foto
NELSON GARRIDO

O grupo Sonae anunciou esta quinta-feira o lançamento da oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) do seu negócio de retalho alimentar, definindo um intervalo de preço para a venda das acções entre 1,40 e 1,65 euros. A percentagem de capital a dispersar pode crescer de 21,74% (oferta base), para 25% e no limite até 33,7%, se a procura for elevada.

Tendo e conta o intervalo de preços e apenas a oferta base, o encaixe poderá variar entre 304 milhões e 359 milhões de euros. O intervalo de valor sobe para 350 e 412 milhões de euros se a dispersão de capital a vender atingir os 25%. Se a oferta for ainda aumentada em 87 milhões de acções, destinada a investidores institucionais, o valor de venda subirá para o intervalo de 412 milhões a 555,5 milhões de euros.

O regresso da Sonae MC à bolsa pode, de acordo com o prospecto divulgado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), ser composto por três partes: uma oferta base de 217.360.000 acções ordinárias, acrescida da venda de uma tranche suplementar (over-allotment) até 32.600.000 acções ordinárias, acrescida ainda de um lote de 87.000.000 acções ordinárias.

Com a operação, a Sonae SGPS (que é proprietária do PÚBLICO) mantém uma posição accionista maioritária no negócio da distribuição alimentar, segmento em que é líder no mercado nacional.

Aos valores de venda previstos, a capitalização bolsista da Sonae MC pode variar entre 1400 milhões de euros e 1650 milhões de euros. Quer o valor de capitalização alcançado, quer a percentagem de capital a dispersar deverão garantir a entrada no principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI 20, onde já está a Sonae SGPS, casa-mãe da MC e a Sonae Capital.

De acordo com o prospecto aprovado pela CMVM, a operação de venda de 217.360.000 acções ordinárias será realizada em 23% através de uma oferta pública a investidores em Portugal e as restantes 77% serão oferecidas através de uma oferta particular reservada a investidores institucionais em Portugal e fora de Portugal (ao abrigo de legislação norte-americana), e a investidores institucionais qualificados também nos Estados Unidos (ao abrigo da Rule 144A do Securities Act).

Adicionalmente, a Sonae concedeu ao sindicato coordenador da oferta uma opção de over-allotment de até 32.600.000 acções, que poderá ser exercida no todo ou em parte dentro dos 30 dias de calendário após o início da negociação condicional das acções na bolsa de Lisboa. A que se junta ainda a opção, designada de upsize, de até 87.000.000 acções ordinárias

A operação arranca na próxima segunda-feira, com o início a um processo de book building (registo de ofertas), sendo expectável que a oferta de retalho termine a 17 de Outubro e que a oferta institucional termine no dia seguinte. Estima-se que o preço final da oferta seja divulgado no dia 18. A admissão das acções à negociação e início da negociação incondicional das acções deverá ocorrer a 23 de Outubro.