Ípsilon

Assédio sexual

Muito mais que Weinstein: um ano de MeToo é passar de “me” para todos

O momento MeToo começou há um ano, quando foi exposto um alegado predador em Hollywood e isso permitiu depois milhões de denúncias de cidadãs e cidadãos comuns. Desde então houve botões de pânico, novas leis, greves e uma cultura abalada. Agora, o movimento deve voltar a focar-se nos sobreviventes, defende a sua fundadora.