Cristiano Ronaldo: “A violação é um crime abjecto”

Acusado de ter violado uma norte-americana, em 2009, jogador de futebol garante que nada lhe pesa na consciência.

Foto
A polícia norte-americana reabriu a investigação esta semana ARND WIEGMANN

Cristiano Ronaldo voltou a defender-se esta quarta-feira da acusação de ter violado Kathryn Mayorga, em 2009, na cidade norte-americana de Las Vegas, no estado do Nevada. “Nego terminantemente as acusações de que sou alvo. Considero a violação um crime abjecto, contrário a tudo aquilo que sou e em que acredito. Não vou alimentar o espectáculo mediático montado por quem se quer promover à minha custa”, escreveu no Twitter.

Numa segunda mensagem, o jogador português ao serviço da Juventus acrescentou que aguardará “tranquilamente” o resultado de quaisquer investigações e processos. “Nada me pesa na consciência”, asseverou. 

Tal como o PÚBLICO noticiou, a queixa contra Cristiano Ronaldo entrou na quinta-feira no Tribunal de Clark County, no Nevada. E, noutra frente, a polícia de Las Vegas anunciou que vai reabrir a investigação a um caso que terá ocorrido em Junho de 2009 e que, na altura, foi resolvido por via da obtenção de um acordo extrajudicial entre Ronaldo e a então aspirante a modelo que implicou o pagamento de uma indemnização de cerca de 320 mil euros a troco do silêncio da mulher.