Alexandre Gaudêncio é o novo líder do PSD-Açores e quer ganhar regionais de 2020

Autarca da Ribeira Grande foi no sábado à noite eleito líder do PSD-Açores, recolhendo 60,9% dos votos, enquanto o seu opositor, Pedro Nascimento Cabral, obteve 37,5%.

Os candidatos à liderança do PSD - Açores, Pedro Nascimento Cabral (direita) e Alexandre Gaudêncio (esquerda)
Foto
Os candidatos à liderança do PSD - Açores, Pedro Nascimento Cabral (direita) e Alexandre Gaudêncio (esquerda) LUSA/Eduardo Costa

O novo líder do PSD-Açores, Alexandre Gaudêncio, disse neste domingo querer devolver a "mística de vitórias" ao partido, apontando o objectivo de vencer regionais de 2020 e derrotar o PS.

"Estamos convencidos e convictos de que, já nas próximas regionais de 2020, o PSD será Governo na Região Autónoma dos Açores", sublinhou Gaudêncio, em mensagem veiculada após a sua vitória nas direitas do PSD-Açores no sábado.

Para o autarca da Ribeira Grande, o PSD-Açores "está vivo, recomenda-se" e agora a fase é de união.

"Conto ter um partido que possa ser cada vez mais de união e que, a uma só voz, combata o PS. Queremos devolver a mística das vitórias ao partido", disse.

Alexandre Gaudêncio foi no sábado à noite eleito líder do PSD-Açores, recolhendo 60,9% dos votos, enquanto o seu opositor, Pedro Nascimento Cabral, obteve 37,5%.

De acordo com indicações dadas pelo partido, nas eleições directas para a liderança dos sociais-democratas da região participaram 2.820 militantes, o que constitui um aumento de 53,8% na afluência às urnas em relação ao ato eleitoral anterior.

Alexandre Gaudêncio obteve 1.716 votos e Pedro Nascimento Cabral alcançou 1.058, tendo-se registado ainda 46 votos brancos ou nulos.

Gaudêncio, que era vice-presidente da comissão política regional do partido sob a alçada do antigo líder, Duarte Freitas, propõe para o PSD-Açores um "novo rumo" e o mobilizar para o partido de cidadãos com "provas dadas".

Sugerir correcção