Pinto da Costa: "Toda a gente sabe que não vai ser à porta fechada”

Nas celebrações do 125.º aniversário do FC Porto, o presidente dos “dragões” comentou a possibilidade de defrontar o Benfica sem adeptos.

Foto
Andre Rodrigues

O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, disse nesta sexta-feira que nunca acreditou e que não faz sentido que o clássico da sétima jornada da I Liga de futebol frente ao Benfica fosse à porta fechada.

Na cerimónia do hastear da bandeira que marcou o arranque das celebrações do 125.º aniversário do clube, o líder dos “dragões” comentou o castigo imposto aos “encarnados”, de realizar um jogo à porta fechada, e que foi alvo de uma providência cautelar para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAD).

"Toda a gente sabe que não vai ser à porta fechada, nem ninguém nunca acreditou que ia ser à porta fechada. E ainda bem, porque o futebol é um espectáculo para ser vivido pelo povo, pelos adeptos, e não teria sentido fazer o jogo à porta fechada", afirmou Pinto da Costa, à margem do evento.

O presidente portista abordou ainda a luta pelo título nacional, depois de o Benfica ter empatado (2-2) em Chaves, na quinta-feira: "O que é importante é na última jornada estar à frente. Agora ainda é tudo muito cedo".

O dirigente referiu ainda que não está a pensar no facto de poder passar já hoje para a liderança do campeonato, no encontro, em casa, frente ao Tondela, a contar para a sexta jornada.

"Só pensamos nos nossos jogos, não estamos a fazer contas, ainda é muito cedo, temos de procurar vencer, para conquistar os três pontos. O importante são os três pontos. Chegar à frente seja em que jornada for é acessório, o que é importante é chegar ao fim na frente. O campeonato é uma prova de regularidade, por isso todos os pontos são importantes", disse.

No dia de aniversário do clube, Pinto da Costa deixou ainda o desejo "que o FC Porto continue a evoluir e a crescer e que tenha mais jovens e crianças, o que é garantia que o futuro será brilhante".