Movimento cívico alerta para o bloqueio de ambulâncias no trânsito do centro de Braga

Organização Braga para Todos e o partido Nós, Cidadãos dizem que os pilaretes, num lado da Rua dos Chãos, e a bolsa de estacionamento, no outro, obrigam as ambulâncias a parar nas horas de maior trânsito. Comandante dos Bombeiros desconhece casos.

Foto

As ambulâncias em situação de emergência que utilizam a Rua dos Chãos para chegarem ao hospital correm o risco de ficar presas no trânsito, principalmente nos momentos em que mais se intensifica – hora de almoço e fim da tarde -, afirma o movimento Braga para Todos e o partido político Nós, Cidadãos. “As ambulâncias ficam bloqueadas várias vezes. Praticamente todos os dias. Elas vão por ali, porque, ao terem emergências no centro da cidade, é o caminho mais próximo para chegarem ao hospital”, afirmou ao PÚBLICO a porta-voz de ambas as organizações, Elda Fernandes.

A rua, de um só sentido, inicia a ligação entre a Avenida Central, no coração da cidade, e a circular urbana da cidade, que assegura o percurso mais rápido para se chegar ao hospital. A circulação nessa artéria é, porém, ladeada, à esquerda, pelos pilaretes colocados pela Câmara Municipal sobre o passeio, com o intuito de impedir o estacionamento abusivo, e, à direita, por uma zona de estacionamento regulada por parquímetros.

A responsável do Braga para Todos diz ter recebido fotografias de ambulâncias paradas no trânsito e testemunhos anónimos, quer de bombeiros, quer de outros cidadãos, a dar conta da situação. Para Elda Fernandes, a Rua dos Chãos, tal como está configurada, pode colocar, no futuro, “o auxílio de pessoas em risco”.

Como eventual solução para o problema, o movimento defende a substituição dos pilaretes por um policiamento “mais intensivo” e por multas, nos casos em que os cidadãos infrinjam as regras. O Braga para Todos afirma igualmente que a diminuição de estacionamentos na Rua dos Chãos podia obrigar as pessoas a utilizarem mais os transportes públicos e a facilitar a circulação das ambulâncias em marcha de urgência.

Comandante dos bombeiros diz não saber de casos

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Braga, António Cerqueira, disse ao PÚBLICO não conhecer qualquer caso de ambulâncias da sua corporação retidas no trânsito da Rua dos Chãos, em situações de emergência. O responsável frisou, aliás, que os veículos em circulação, mesmo com as viaturas estacionadas à direita, têm espaço na via para se desviarem e deixarem passar as ambulâncias.

O PÚBLICO tentou ainda contactar a Câmara Municipal de Braga, mas não obteve resposta. A autarquia anunciou a colocação de pilaretes em várias ruas da cidade no final de Abril. O presidente, Ricardo Rio, justificou então a medida com a necessidade de anular “comportamentos abusivos por parte de muitos cidadãos”, que transformavam os passeios em “zonas de estacionamento permanente”, e com a falta de agentes da Polícia Municipal para trabalhar à noite, o período em que havia mais infracções. O autarca reiterou ainda que as condições de circulação para os veículos de emergência estavam assegurados.