Já há lista dos finalistas do Man Booker Prize

Os candidatos ao mais prestigiado prémio britânico de literatura são obras de Anna Burns, Daisy Johnson, Richard Powers, Esi Edugyan, Rachel Kushner e Robin Robertson.

O júri do Man Booker inclui
Foto
O júri do Man Booker, presidido por Kwame Anthony Appiah, ao centro LUSA/NEIL HALL

Os finalistas do Man Booker Prize de 2018, que assinala o meio século do mais prestigiado prémio de literatura inglesa, foram anunciados esta quinta-feira no site oficial. Da lista de 13 obras que era conhecida desde Julho, o júri encabeçado pelo filósofo e romancista Kwame Anthony Appiah escolheu seis livros como finalistas. São eles: Milkman, de Anna Burns, Everything Under, de Daisy Johnson, The Overstory, de Richard  Powers, Washington Black, de Esi Edugyan, O Quarto de Marte, de Rachel Kushner, e The Long Take, de Robin Robertson.

O vencedor, que se tornará o sucessor de George Saunders e do seu Lincoln no Bardo, receberá 50 mil libras e será conhecido a 16 de Outubro.

Há alguns destaques na lista, entre repetentes e pioneiros. A canadiana Esi Edugyan foi finalista em 2011, por Um Blues Mestiço e o estado-unidense Richard Powers foi nomeado em 2014 por Orfeo, mas nunca tinha chegado tão longe. Daisy Johnson, que é britânica, tem apenas 27 anos, e é a pessoa mais nova de sempre a ser finalista do prémio. Só um destes livros, o de Rachel Kushner, foi até à data publicado em Portugal pela Relógio d’Água.

Os jurados, encabeçados por Kwame Anthony Appiah incluem também Val McDermid, escritora de policiais escocesa, o crítico Leo Robson, Jacqueline Rose, académica da Universidade de Londres, e Leanne Sharpton, a artista e escritora canadiana.

No comunicado de imprensa publicado no site do prémio, o presidente do júri diz que os livros escolhidos, que falam muito sobre o mundo nos dias de hoje, são “milagres de invenção estilística”, com a linguagem a ser o foco em todos eles, mas, ao mesmo tempo, “notavelmente diversos em todos os outros aspectos, explorando uma multiplicidade de tópicos”.