Fotogaleria
Shuming Chen da China. Óculos a 620 euros.
Fotogaleria
Hayley Grafflin do Reino Unido. Alfinetes a 360 euros e 330 euros.
Fotogaleria
Giulia Savino da Itália. Colar a 110 euros.
Fotogaleria
Hiyu Hamasaki do Japão. Alfinete a 300 euros.
Fotogaleria
Fruzsi Fekete da Hungria. Alfinete a 430 euros.
Fotogaleria
Cleopatra Cosulet da Roménia. Colar a 714 euros.
Fotogaleria
Cedric Chevalley da Suiça. Alfinete a 38 euros.
Fotogaleria
Burcu Sulek da Turquia. Colar a 500 euros.
Fotogaleria
Bárbara D'Ambra de Buenos Aires. Alfinete a 80 euros.
Fotogaleria
Ausra Bankauskaite da Lituânia. Brincos a 600 euros.
Fotogaleria
Asami Watanabe do Japão. Alfinete a 180 euros.
Fotogaleria
Ariel Lavian de Israel. Anel a 380 euros.
Fotogaleria
Filipe Fonseca de Portugal. Brincos.
Fotogaleria
Ana Marchetanu da Roménia. Anel a 102 euros.
Fotogaleria
What If I Fly da Roménia. Pendente a 200 euros.
Fotogaleria
Ryungjae Jung da Coreia do Sul. Alfinete a 700 euros.
Fotogaleria
RALUCA BUZURA da Roménia. Colar a 640 euros.
Fotogaleria
Piota Vogli da Grécia. Alfinete a 239,85 euro.
Fotogaleria
Patricia Gallucci da Argentina. Colar a 400 euros.
Fotogaleria
Mini Asai do Japão. Alfinete a 580 euros.
Fotogaleria
Maria Tsimpiskaki da Grécia. Anel a 250 euros.
Fotogaleria
Magali Thibault Gobeil do Canadá. Alfinete a 250 euros.
Fotogaleria
Andra Lupu da Roménia. Anel a 300 euros.
Fotogaleria
Laura Forte da Itália. Anel a 100 euros.
Fotogaleria
Kim Paquet do Canadá. Colar a 775 euros.
Fotogaleria
Jiye Yun da Coreia do Sul. Alfinete a 710 euros.
Fotogaleria
Isabelle Busnel da França. Alfinete a 185 euros.
Fotogaleria
HYUN JIYOON da Coreia do Sul. Alfinete a 195 euros.
Fotogaleria
Leonor Silva de Portugal. Colar a 1540 euros.
Fotogaleria
Ekaterina Peresvetova da Rússia. Anel a 120 euros.

Joalheiros de todo o mundo mostram a sua arte no Porto

Exposição Collectiva Meeting vai reunir, no Centro Comercial Bombarda, uma exposição de jóias contemporâneas. São 85 criadores de vários pontos do mundo

Joalharia contemporânea, de autor, exclusiva e com identidade. Estas são algumas das características da próxima mostra de jóias da Collectiva  Meeting - International  Exhibition, que vai juntar 85 joalheiros de todo o mundo na cidade do Porto. A exposição inaugura a 22 de Setembro, no Centro Comercial Bombarda, e inclui venda ao público.

A Collectiva é uma plataforma e uma galeria com loja integrada sediada no Porto que nasceu pelas mãos de cinco jovens criadoras, em 2017, com o objectivo de mostrar a joalharia portuguesa de autor no feminino. Agora quer mais do que isso: pretende dar a conhecer a joalharia contemporânea nacional e estrangeira. Desde a abertura da exposição e até ao final de Outubro, a organização promove a divulgação do trabalho de designers de 15 nacionalidades — e alguns deles vão passar pelo centro comercial portuense. 

“Queremos que a Collectiva Meeting se torne um ponto de encontro anual de joalharia contemporânea, onde os artistas tenham oportunidade de expor o seu trabalho e ao mesmo tempo interagir e partilhar experiências entre si”, assinala a organização num comunicado, acrescentando a determinação em “desmistificar a ideia que a joalharia de autor é um produto de nicho”.

Tendo em conta critérios de inovação e criatividade, a Collectiva seleccionou, entre mais de 100 candidaturas, criadores de países como o Japão, China, Rússia, Brasil, Canadá, Alemanha, Reino Unido, Itália, Turquia, Grécia, entre outros. Os autores estão habilitados a ganhar alguns prémios. Entre eles o Collectiva Meeting, que vai dar a três marcas a oportunidade de fazerem parte da galeria durante três meses, e o Portojóia, que vai seleccionar oito a dez marcas para participarem naquela que dizem ser a principal feira de joalharia nacional, a decorrer entre os dias 27 e 30 de Setembro, no espaço da Collectiva Meeting. Há ainda a possibilidade de uma marca ser eleita para uma entrevista e um editorial de moda exclusivo na revista Faire Magazine