Um Cyrano de Bergerac restaurado na abertura da Festa do Cinema Francês

Em Guerra, de Stéphane Brizé, encerrará a 19.ª edição do evento, que começa em Lisboa a 14 de Outubro e se estende, até 11 de Novembro, a mais dez cidades do país.

Foto
Gérard Depardieu encarnou Cyrano de Bergerac no filme de Jean-Paul Rappeneau DR

O cineasta Jean-Paul Rappeneau será um dos autores em destaque na Festa do Cinema Francês –? e também o seu padrinho. Acompanhando a exibição do seu Cyrano de Bergerac, em cópia restaurada, o autor francês, de 86 anos, estará em Lisboa para a abertura da 19.ª edição da festa, que decorre de 14 de Outubro até 11 de Novembro, estendendo-se a mais dez cidades do país. 

Além de Cyrano de Bergerac (1990), filme protagonizado por Gerard Depardieu que somou dezenas de prémios e está agora de volta ao cinema, em cópia restaurada (chega às salas portuguesas a 5 de Outubro), a Festa do Cinema Francês mostrará outros quatro filmes do realizador, entre os quais La vie de Château (1965) e Le sauvage (1975).

O encerramento da Festa do Cinema Francês em Lisboa far-se-á a antestreia de En guerre, de Stéphane Brizé, na sua quarta colaboração com o actor Vincent Lindon (depois de Mademoiselle Chambon, de 2009, Quelques Heures de Printemps, de 2012, e A Lei do Mercado, de 2015), aqui no papel de um sindicalista. O realizador estará em Lisboa para apresentar o filme, que não tem ainda data de estreia em Portugal.

Entre as antestreias previstas contam-se, por exemplo, A aparição, também com o actor Vincent Lindon, e que o realizador Xavier Giannoli mostrará em Lisboa, Não deixeis cair em tentação, de Cédric Kahn, e Plaire, aimer et courir vite, de Christophe Honoré.

Em cada edição, para lá das antestreias, a Festa do Cinema Francês tem procurado ser abrangente: "É também um momento de descoberta ou redescoberta da obra de grandes nomes franceses do cinema mundial, da vitalidade do cinema de animação no qual a França se tem destacado, ou da pertinência do cinema independente", lê-se na nota distribuída à imprensa.

Em parceria com a Cinemateca Portuguesa, a Festa do Cinema Francês dedicará ainda uma retrospectiva ao realizador e argumentista Henri-Georges Clouzot, que incluirá o documentário Le mystère Picasso (1956), registo do processo criativo do pintor espanhol.

O programa dedicará ainda espaço ao cinema independente, com filmes de, entre outros, Anne Alix, Marco La Via, Hanna Ladoul e Clément Schneider.

Pensado para os mais novos, em contexto familiar e escolar, será mostrado ainda o mais recente cinema de animação francófono.

Além de Lisboa, a 19.ª Festa do Cinema Francês vai passar por Almada, Aveiro, Beja, Coimbra, Faro, Leiria, Porto, Seixal, Setúbal e Viana do Castelo.

Sugerir correcção