Florence perdeu força após cinco mortes e agora é uma tempestade tropical

Uma mulher e uma criança morreram quando a casa onde se encontravam foi atingida por uma árvore. Há ainda mais duas mortes confirmadas e indirectamente associadas à tempestade.

Fotogaleria
Bombeiros prestam homenagem às duas pessoas, uma mulher e uma criança, que morreram em casa LUSA/JIM LO SCALZO
Fotogaleria
Mais de 600 mil residências e empresas perderam acesso à electricidade nas primeiras horas do dia LUSA/JIM LO SCALZO
Fotogaleria
Cerca de 10 milhões de pessoas poderão ser afectadas Reuters/NASA
Fotogaleria
Uma centena de habitantes de New Bern tiveram de ser resgatados por causa das inundações Reuters/HANDOUT
Fotogaleria
Os ventos sopravam a 150 km/h quando o "Florence" tocou terra firme Reuters/EDUARDO MUNOZ
Fotogaleria
Um homem é transportado ao hospital com ferimentos LUSA/JIM LO SCALZO
Fotogaleria
LUSA/JIM LO SCALZO

Uma mulher e uma criança morreram nesta sexta-feira em Wilmington, no estado da Carolina do Norte, depois de uma árvore derrubada por ventos fortes do furacão Florence ter caído em cima da casa onde se encontravam. As duas vítimas mortais pertencem à mesma família. O furacão perdeu força depois de entrar em terra firme, tendo sido reclassificado como uma tempestade tropical.

Segundo as autoridades locais, na casa atingida pela árvore estava ainda um homem, também da mesma família, que foi transportado em estado grave para um hospital. O furacão chegou à costa de manhã cedo (hora de almoço em Portugal continental). À noite, os ventos sopravam a 110 km/h.

PÚBLICO -
Foto

Foi a polícia quem confirmou as duas mortes, indicando que seriam as primeiras baixas mortais confirmadas como resultado da chegada do furacão à costa leste dos EUA. Porém, no mesmo estado da Carolina do Norte, há registo de mais duas baixas mortais, indirectamente associadas ao furacão, que tocou terra firme com menos força do que era esperado, mas cujo risco é ainda assim igualmente alto, de acordo com avisos de diferentes entidades e responsáveis. Em Pender County, uma mulher morreu na sequência de um ataque cardíaco. Equipas de emergência foram chamadas ao local, mas foram incapazes de chegar até ela, porque as estradas estavam bloqueadas com árvores caídas e outros resíduos arrastados pelos ventos do Florence, descreve a agência Reuters.

Além disso, o diário Washington Post contabiliza uma quarta morte, em Lenoir County, onde uma pessoa perdeu a vida quando manuseava um gerador de emergência. E a CNN noticiava já na manhã deste sábado que uma quinta vítima terá sido colhida pelos ventos fortes enquanto tentava resgatar os seus cães.

Depois de entrar em solo firme, o Florence perdeu ritmo de progressão, o que significa que poderá fustigar aquela região durante horas ou mesmo dias, provocando inundações. Diz a Reuters que a água "arrastada" pelo Florence a partir do Oceano Atlântico "tomou conta" da cidade de New Bern, onde se cruzam os rios Neuse e Trent.

"Àqueles que me conseguem ouvir peço que se mantenham abrigados em locais seguros", pediu o governador da Carolina do Norte, Roy Cooper (democrata).

PÚBLICO -
Foto

Foi por volta das 7h15 locais (mais cinco horas em Portugal continental) que o olho do furacão chegou a terra firme, perto de Wrightsville Beach e de Wilmington, onde morreram as duas pessoas cuja casa foi atingida por uma árvore. Os ventos sopravam na altura a 150 hm/h, de acordo com dados National Hurricane Center (NHC).

Cerca de duas horas e meia depois, os ventos tinham perdido velocidade, baixando para 120 km/h, com o centro do Florence a deslocar-se para ocidente à velocidade de 10km/h. As autoridades científicas previam que, em termos de quantidade, o Florence pudesse gerar o equivalente a "oito meses de chuva em dois ou três dias".

Na cidade de New Bern, com 30 mil habitantes, cerca de 100 pessoas foram salvas de inundações que submergiram o centro desta localidade nascida no século XVIII.

"É uma loucura"

O número de árvores arrancadas é assustador, segundo um morador de Wilmington citado pela Reuters. "É uma loucura", afirmou por telefone. "Toda a gente goza com o facto de esta tempestade ter sido desvalorizada [depois de chegar a terra e perder força] mas eu nunca vi uma devastação de árvores tão grande", descreveu. 

Mais de 634 mil residências e estabelecimentos estão sem energia nos estados da Carolina do Norte e do Sul. Porém, as empresas fornecedoras de electricidade avisam que isto é só o início – e estimam que "milhões de pessoas deverão perder electricidade; a recuperação pode demorar semanas".

Classificado como um furacão de categoria 3 na quinta-feira, o Florence foi depois classificado como sendo de categoria 1 antes de entrar no território dos EUA. Já esta noite de sexta-feira foi categorizado como uma tempestade tropical.

Cerca de 10 milhões de pessoas poderão ser afectadas pela tempestade e mais de um milhão de habitantes tiveram de se retirar das zonas de costa nos estados já mencionados e também na Virgínia.