Simon Yates ataca e tem vitória final na Vuelta à vista

Faltam dois dias para a Volta a Espanha em bicicleta terminar em Madrid.

Simon Yates
Foto
Simon Yates LUSA/MANUEL BRUQUE

O ciclista britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott) atacou na 19.ª etapa da Volta a Espanha e ganhou tempo decisivo aos rivais na luta pelo triunfo na prova. A tirada, a antepenúltima da competição, foi conquistada pelo francês Thibaut Pinot (Groupama-FDJ).

Yates aumentou de 25 segundos para 1m38s a vantagem para o espanhol Alejandro Valverde (Movistar), que não conseguiu acompanhar os favoritos no final, enquanto o holandês Steven Kruijswijk (LottoNL-Jumbo) ascendeu ao pódio, a 1m58s.

Kruijswijk foi terceiro nos 154,4 quilómetros entre Lérida e Andorra, a oito segundos de Yates, segundo, e a 13 de Pinot, que já tinha vencido no 15.º dia e ganhou em 3h42m05s.

A vitória deixa o francês no sétimo lugar da geral, e serve de bom prenúncio, aliado ao triunfo anterior, para os Mundiais de estrada, em Innsbruck, no final do mês.

Por seu lado, Yates acabou por contrariar as previsões para a etapa, ao ser ele a atacar o pelotão de favoritos à vitória final, em vez do contrário.

Já depois da Movistar ter tentado abanar as pretensões da Mitchelton-Scott, e de colocar o colombiano Nairo Quintana na frente, o britânico deu uma lição de autoridade ao atacar o grupo de favoritos.

Em poucos quilómetros já se tinha juntado na frente a Kruijswijk e a Pinot, durante a longa subida até à meta, uma escalada que ocupou os últimos 17 quilómetros da etapa, e lembrou a performance na Volta a Itália deste ano.

No Giro, Yates liderou até ao 18.º dia e venceu três etapas enquanto líder, e só não conseguiu triunfar devido a um Pinot mais forte na ponta final.

Apesar do sucesso, Yates mostrou-se cauteloso quanto ao último dia em que poderá ver a liderança ameaçada, noutra jornada de montanha em Andorra, no sábado, depois do choque em Itália, perdendo a prova nos últimos dias para o compatriota Chris Froome e acabando em 21.º.

"Estou a olhar com cuidado para amanhã (sábado). (...) Vou tentar manter-me concentrado e desfrutar do dia, mas não acaba até acabar mesmo", afirmou, no final, o camisola vermelha.

O britânico elogiou a equipa, incluindo o irmão, Adam, mas também Pinot, que confessou ter "dado uma ajuda" no fim, algo que não vai "esquecer tão rapidamente".

No sábado, os favoritos enfrentam o último grande teste da presente edição da Vuelta, na ligação entre Andorra e o Alto de la Gallina, uma tirada curta, de 97,3 quilómetros, mas pontuada com três contagens de montanha de primeira categoria, uma de segunda, uma de terceira, e uma última subida até à meta, da qual sairá o vencedor da 73.ª edição, antes da consagração, no domingo, na chegada a Madrid.

José Mendes (Burgos-BH) terminou nesta sexta-feira a etapa no 33.º posto, subindo ao 91.º da geral, enquanto Nelson Oliveira (Movistar) caiu para 74.º, ao ser 106.º, e Tiago Machado (Katusha-Alpecin) segurou o 80.º, ao cortar a meta em 63.º.