Na Universidade do Porto, uma nova vida começa para cinco mil novos estudantes

Num evento onde não faltou espírito académico, a Universidade do Porto deu as boas vindas aos novos alunos que ingressam este ano no ensino superior.

Fotogaleria
André Rodrigues
Fotogaleria
Distribuição de Kits da U. Porto aos novos estudantes. André Rodrigues
Fotogaleria
Actuação dos Flyers Desportus. André Rodrigues
Fotogaleria
Actuação dos Flyers Desportus.,Actuação dos Flyers Desportus. André Rodrigues,André Rodrigues
Fotogaleria
Actuação dos Flyers Desportus. André Rodrigues
Fotogaleria
Recepção aos novos estudantes da U. Porto. André Rodrigues

A Reitoria da Universidade do Porto recebeu esta quinta-feira os novos estudantes que ingressaram no ensino superior. São cerca de quatro mil os alunos que a universidade acaba de acolher e que preencheram a quase totalidade das vagas disponíveis na primeira fase de ingresso. A eles, juntam-se os estudantes internacionais ou de mobilidade, que, juntos, perfazem um total de cinco mil alunos a chegar à Invicta. 

Na sessão de boas vindas estiveram presentes diversos órgãos da universidade e da cidade, entre eles o reitor António de Sousa Pereira, o presidente da Federação Académica do Porto (FAP), João Pedro Videira, e a vereadora da câmara do Porto para a Juventude, Catarina Araújo.

Pouco passava das 15h quando iniciou a sessão de boas vindas aos novos estudantes. O novo reitor da universidade, António de Sousa Pereira, notou o trabalho e determinação que, com certeza, os novos estudantes tiveram para conseguir aceder à Universidade do Porto, “a instituição com a mais elevada taxa de procura, que acolhe muitos dos melhores estudantes do país”, frisou. “É, por isso, uma responsabilidade acrescida”.

Já João Pedro Videira, representante dos estudantes de todas as faculdades que a universidade engloba através da FAP, assinalou a falta de apoios à habitação. “Todos devem ter um alojamento digno a um bom preço e a FAP não fica indiferente a isso, já que o senhor ministro da educação assobia para o lado quanto a este assunto”. O presidente lembrou que “está mais do que na hora” de entidades como o município, a própria universidade e a FAP se juntarem para resolver o problema com que inúmeros estudantes se deparam no momento de procurar habitação na cidade onde estudam.

Fernanda vem do Brasil e está em Portugal há um mês, veio para o Porto para estudar Psicologia. Ao sonho de voltar a estudar juntou-se a vontade de viajar para fora do país, sair da zona de conforto. Pela facilidade na língua, escolheu Portugal, pelo tema que quer estudar, o Porto. Além disso, os custos das propinas nas universidades nacionais são “bem mais baratos do que no Brasil”.

Já Hugo é português, vem de Coimbra, e vai estudar Medicina Veterinária na Universidade do Porto. Ao contrário do que acontece com alguns, muitos, estudantes, já arranjou casa, apesar de ter sido “um pouco complicado”.

Aos novos estudantes, a Universidade do Porto providenciou ainda uma pulseira para utilizarem na visita a diversos pontos da cidade, de forma gratuita. No roteiro incluem-se, por exemplo, a Igreja e Torre dos Clérigos, a Casa da Música, o Centro Português de Fotografia, a Sé Catedral, o Museu e Jardins de Serralves, o Estádio do Dragão, o Museu Nacional Soares dos Reis, entre outros. A pulseira foi distribuída juntamente com o Kit que a universidade disponibilizou, gratuitamente, a todos os novos estudantes, que inclui toda a informação sobre a universidade e os seus serviços, assim como a capa, a t-shirt e o saco da instituição. 

Além dos discursos, não faltou música.

Texto editado por Ana Fernandes

PÚBLICO -
Foto
Actuação dos Flyers Desportus, na Praça Gomes Teixeira (Praça dos Leões). André Rodrigues
PÚBLICO -
Foto
As pulseiras distribuídas permitem o acesso gratuito, aos novos estudantes, a alguns dos lugares mais conhecidos da cidade. André Rodrigues