Geografia

Eis o mapa mais detalhado da Antárctida

“Até agora, tínhamos um mapa mais detalhado de Marte do que da Antárctida”, disse um dos cientistas que elaborou o mapa.
Foto
O novo mapa Agência Nacional de Informação Geoespacial

Mesmo que nunca tenhamos visitado a Antárctida, agora já podemos ver este continente longínquo à lupa. Afinal, uma equipa de cientistas anunciou que foi feito o mapa mais detalhado da superfície deste continente. Chama-se Modelo Referencial de Altitude da Antárctida (Reference Elevation Model of Antarctica – REMA) e pode ser importante para entendermos melhor as perdas de gelo.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

Para conceber este mapa, os cientistas usaram dados de vários satélites que orbitam a Terra. Esses dados foram fornecidos pela Agência Nacional de Informação Geoespacial, que faz parte do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Ao todo, a equipa usou 187.585 imagens compiladas ao longo de seis anos. E como as imagens eram muito pormenorizadas, os cientistas tiveram de reunir os dados em supercomputadores muito potentes.

Foto
O novo mapa pode contribuir para monitorizar o efeito das alterações climáticas sobre o gelo Agência Nacional de Informação Geoespacial

Agora, com este novo mapa, é possível ver detalhadamente zonas tão pequenas quanto o tamanho de um carro, refere o jornal norte-americano The New York Times.  

Foto
Plataforma Larsen C, onde se desprendeu um imenso icebergue em 2017 Agência Nacional de Informação Geoespacial

Este mapa tem uma resolução de oito metros de 98% da massa terrestre da Antárctida. “Isto significa que os investigadores sabem agora a altura de todas as montanhas e do gelo em toda a Antárctida dentro de poucos metros”, lê-se num comunicado da Universidade do Minnesota (EUA), que também teve cientistas envolvidos no projecto.

Foto
Glaciar Mulock Agência Nacional de Informação Geoespacial

Antes, os mapas da Antárctica tinham resoluções mais baixas. “É como se precisasse de uns óculos para poder ver. Ao colocá-los [agora] pela primeira vez deixa de estar quase cego e passa a ter uma vista perfeita”, disse Ian Howat, principal investigador do projecto e da Universidade Estadual de Ohio, nos EUA, ao The New York Times. “Até agora, tínhamos um mapa mais detalhado de Marte do que da Antárctida.”

Foto
Vulcões na Antárctida Ocidental Agência Nacional de Informação Geoespacial

Os dados deste mapa permitirão uma melhor monitorização dos efeitos das alterações climáticas sobre o gelo, por exemplo. Paul Morin, da Universidade do Minnesota e um dos cientistas que realizou o mapa, frisa: “Considerando que a Antárctida é um dos lugares mais remotos do planeta, agora temos um modelo topográfico incrível para medições futuras.”