Universidades

Mestrado em gestão da Católica sobe oito lugares na lista do Financial Times

Em 2018, há três mestrados de gestão portugueses no ranking do jornal britânico.
Foto
ISCTE entrou na lista em 2017 e passado um ano melhorou sete posições Fábio Augusto

Portugal tem três mestrados em gestão entre os 100 melhores do mundo na lista do Financial Times. O mestrado em gestão da Católica Lisbon School of Business and Economics subiu oito lugares no ranking e ocupa agora o 30.º lugar, a par do mestrado da Nova School of Business and Economics, que em 2018 piorou os seus resultados, tendo passado da 17.ª para a 30.ª posição. A estes soma-se o mestrado da ISCTE Business School, que entrou pela primeira vez na lista em 2017 e subiu sete lugares, classificando-se na 77.ª posição.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

ranking dos mestrados em gestão do Financial Times é um dos vários que o jornal publica ao longo do ano e é uma forma de as universidades se promoverem junto dos estudantes e dos executivos. O jornal britânico analisa 17 indicadores que avaliam a qualidade do mestrado e da escola, tendo em conta dimensões como a progressão na carreira, a diversidade da escola e a experiência e investigação internacionais.

Olhando para o indicador relacionado com a recuperação do investimento académico, o mestrado nacional que apresenta o tempo mais reduzido para a recuperação do valor da propina com base no salário actual dos graduados é o do ISCTE, obtendo a 27:ª posição na lista global. Um comunicado desta escola realça que esse é o resultado dos “preços competitivos do programa”, que permitem que os graduados “recuperem o investimento académico numa janela temporal muito reduzida”. A Nova está na 39.ª posição e a Católica na 40.ª.

Já no que respeita à evolução do percurso profissional após a conclusão do mestrado, é a Católica que dá mais garantias, estando entre os nove melhores do mundo. Já o mestrado da Nova ocupa o 12.º lugar e o do ISCTE é o 21.º da lista.

O Financial Times analisa também os mestrados que mais importância dão à igualdade de género. No caso de Portugal, a Nova Nova School of Business and Economics é a faculdade que tem maior percentagem de mulheres (67%), seguindo-se o ISCTE (50%9 e a Católica (31%).

À semelhança dos dois anos anteriores, a lista do Financial Times é liderada pela Universidade de St. Gallen, na Suíça, que ocupa o primeiro lugar. A HEC Paris, em França, mantém o segundo lugar e a London Business School, no Reino Unido, ocupa a terceira posição, destronando a espanhola IE Business School.

Portugal é o sexto país com mais escolas de gestão contempladas no ranking (três), a par de Espanha, Canadá, Índia, Itália e China. A França lidera no número de escolas (21), seguindo-se o Reino Unido (19), a Alemanha (seis), a Bélgica (cinco) e a Holanda (quatro).