Líder da extrema-direita sueca ameaçado de morte

Serviços de informações suecos confirmam "ameaças" a uma personalidade que protegem.

Foto
Jimmie Åkesson JOHAN NILSSON/EPA

O líder dos Democratas da Suécia (SD), partido anti-imigração de extrema-direita que pode tornar-se a segunda força política nas legislativas de domingo, foi ameaçado de morte, indicou o seu partido.

“Esperamos que as ameaças não sejam reais, mas aguardamos pela análise do Säpo”, os serviços de informações suecos, disse nesta sexta-feira à agência noticiosa AFP o porta-voz do SD, Oskar Cavalli-Björkman.

Os media suecos reproduziram uma cópia da carta de ameaça dirigida a Jimmie Åkesson, presidente deste partido de inspiração neonazi, e que continha símbolos da organização jihadista Estado Islâmico.

“Vamos decapitar-te caso não te retires das eleições até ao final da semana”, pode ler-se na cópia da carta que também ameaça o filho do líder de extrema-direita.

Interrogado pela AFP, o Säpo confirmou a abertura de um inquérito por “ameaças” contra uma das personalidades cuja protecção tem de assegurar.