Com Melo Gouveia mas sem Lima e Figueiredo

Nove portugueses jogarão o Portugal Masters naquela que será a 2ª maior participação Lusa de sempre

Ricardo Melo Gouveia regressa ao Portugal Masters um ano depois de ter alcançado um brilhante 5º lugar / © Getty Images
Foto
Ricardo Melo Gouveia regressa ao Portugal Masters um ano depois de ter alcançado um brilhante 5º lugar / © Getty Images

Ricardo Melo Gouveia regressa ao Portugal Masters cheio de ambição, um ano depois de ter alcançado a melhor classificação de sempre de um português no torneio que o European Tour irá realizar de 20 a 23 de setembro, com o Pro-Am agendado para o dia 19.

"Estou bastante entusiasmado por estar quase aí à porta mais uma edição do Portugal Masters. Para mim e para qualquer jogador português é o quinto major do ano", disse o atleta olímpico português.

Ricardo Melo Gouveia foi 5.º classificado no Portugal Masters do ano passado, com o excelente resultado de 14 pancadas abaixo do Par do Dom Pedro Victoria Golf Course, empatado com Filipe Lima.

Lima não regressa este ano a Vilamoura por estar mais investido em terminar a época no top-15 do ranking Challenge Tour, preferindo competir nessa semana num torneio francês da segunda divisão europeia. A mesma decisão foi tomada por Pedro Figueiredo.
"O 5.º lugar do ano passado deixou-me com uma vontade enorme de melhorar este ano e, quem sabe, dar uma grande alegria ao golfe português. É um sonho, um objetivo meu desde pequeno, mas não vou mudar nada em termos de preparação e de expectativas para o torneio", disse o profissional da Quinta do Lago, que tem uma relação especial com o campo por ter sido jogador do Clube de Golfe de Vilamoura antes de rumar para o circuito universitário norte-americano.

Ricardo Melo Gouveia ocupa a 129.ª posição na Corrida para o Dubai desta semana e precisa de terminar a época no top-100 para manter-se na primeira divisão europeia em 2019. Há um ano o top-5 no Portugal Masters foi fundamental para segurar o cartão no European Tour. Doze meses volvidos, o cenário é semelhante.

O único português a competir a tempo inteiro no European Tour em 2018 foi o único golfista nacional a entrar diretamente na lista de inscritos do Portugal Masters, que distribui 2 milhões de euros em prémios monetários, mas haverá mais oito convidados: sete profissionais e dois amadores.

A presença de nove portugueses significa a segunda melhor participação nacional de sempre no mais importante torneio português de golfe, depois dos 13 do ano passado.
Ricardo Santos, Tiago Cruz, Tomás Silva, João Carlota, Tomás Melo Gouveia e Miguel Gaspar são os profissionais que receberam convites da PGA de Portugal, enquanto os amadores Vítor Lopes e Afonso Girão foram contemplados com convites da Federação Portuguesa de Golfe.

Ricardo Santos deteve o recorde da melhor classificação de um português no Portugal Masters até aos 5.º lugares de Melo Gouveia e Lima no ano passado. Foi em 2012 que Ricardo Santos terminou em 16.º com 6 pancadas abaixo do Par, levando então atrás de si hordas de espectadores portugueses.

O algarvio é um ídolo do golfe nacional desde que se tornou nesse ano apenas no terceiro português a vencer um torneio do European Tour, depois de Daniel Silva e Filipe Lima.
Tendo sido jogador de Vilamoura toda a sua vida, conhece o campo como ninguém. Este ano Ricardo Santos venceu o 4.º Palmares Classic do Portugal Pro Golf Tour.

Os restantes profissionais portugueses têm obtido em 2018 alguns resultados de relevo em provas internacionais.

O vice-campeão nacional, João Carlota, acabou de vencer na semana passada a Taça Ibérica, inserida no Seve Ballesteros Tour (circuito profissional espanhol), e também foi 3.º classificado no Obidos International Open, do Alps Tour (uma das terceiras divisões europeias). No PGA Portugal Tour (circuito profissional português) venceu o Optilink PGA Open.

Tomás Melo Gouveia tem competido esta época no Pro Golf Tour (outra das terceiras divisões europeias), no qual alcançou cinco top-10, incluindo um 2.º lugar no Gut Bissenmoor Classic.

Miguel Gaspar estreou-se este ano no Challenge Tour (segunda divisão europeia) e sagrou-se vice-campeão do Alps de Andalucia, do Alps Tour (terceira divisão).

Tiago Cruz arrancou um bom 4.º lugar no Open de Portugal @ Morgado Golf Resort do Challenge Tour; venceu o 3.º Palmares Classic do Portugal Pro Golf Tour e há duas semanas foi 2.º classificado no WGM Beroun Czech Open, do circuito profissional da República Checa.

Tomás Silva venceu em 2017 a Ordem de Mérito 1080 Produções/PGA Portugal (ranking nacional de profissionais) um ano depois de ter sido o n.º1 do Ranking Nacional BPI/FPG (a classificação de amadores). Foi ainda 15.º no Challenge de España, do Challenge Tour; 8.º no Obidos International Open, do Alps Tour; 2.º Guardian Bom Sucesso Classic e 3.º no Penina Classic IV, ambos eventos do Portugal Pro Golf Tour.

Entre os amadores, Vítor Lopes merece grande destaque porque obteve este ano a sua primeira vitória em torneios internacionais de profissionais, no Álamos Classic, do Portugal Pro Golf Tour. O algarvio que representa do Clube de Golfe de Vilamoura elevou em fevereiro o troféu mais importante do nosso país para amadores, o Campeonato Internacional Amador de Portugal, e, uma vez mais, entre profissionais, brilhou no último Open de Portugal @ Morgado Golf Resort, do Challenge Tour, com um 14.º lugar (-1).

Vítor Lopes está neste momento no Campeonato do Mundo Amador por Equipas, o Eisenhower Trophy, na Irlanda, integrando a seleção nacional que conta também com Afonso Girão. E se Vítor Lopes já participou várias vezes no Portugal masters, para Afonso Girão será a estreia no Portugal Masters do amador do Oporto Golf Club, um membro habitual das seleções nacionais da FPG.

Os bilhetes para o Portugal Masters de 2018 estão à venda até 16 de setembro com preços bonificados. Informações sobre venda de ingressos e pacotes VIP em europeantour.com/tickets.

 

Veja mais em www.golftattoo.com