Queer Porto regressa em Outubro com o escritor Dennis Cooper como convidado

Escritor e cineasta norte-americano apresentará no Teatro Rivoli o filme que co-realizou com Zac Farley, Permanent Green Light, a concurso no festival, que decorre de 10 a 14 de Outubro.

Dennis Cooper e Zac Farley co-realizaram o filme <i>Permanent Green Light</i>
Foto
Dennis Cooper e Zac Farley co-realizaram o filme Permanent Green Light DR

O Queer Porto - Festival Internacional de Cinema Queer regressa ao Teatro Municipal Rivoli entre 10 e 14 de Outubro, para a 4.ª edição, e contará com a presença do escritor norte-americano Dennis Cooper.

"Prosseguindo o seu propósito de se constituir como uma mostra ecléctica do que de mais pertinente é produzido e constitui referência para a cultura queer nos nossos dias, para a sua 4.ª edição o Queer Porto tem como convidado especial o escritor de culto norte-americano Dennis Cooper, largamente influenciado pelos movimentos punk e queercore, autor de novelas como Frisk ou The  Sluts, e que recentemente enveredou pelo cinema", refere a organização num comunicado divulgado esta quinta-feira pelo Queer Lisboa.

Dennis Cooper estará no festival para a apresentar Permanent Green Light, filme que co-realizou com Zac Farley, e para um encontro com espectadores.

Nesta edição, a organização destaca ainda o programa As Pinturas Fílmicas de Carolee  Schneemann, sobre o trabalho daquela performer norte-americana, um conjunto de documentários sobre a influência da cultura queer no mundo da moda, performances dos Mont de Dutor e de Liad Hussein Kantorowicz, bem como um concerto de Alexander Geist.

Na competição oficial, com um prémio no valor de três mil euros, pela compra dos direitos de exibição pela RTP2, concorrem oito longas-metragens de ficção ou documentais: 1985, de Yen Tan; Call her  Ganda, de PJ Raval; The Rest I Make Up, de Michelle Memran; Soldiers. Story from Ferentari, de Ivana Mladenovic; L'Animale, de Katharina Mückstein; Dykes, Camera, Action!, de Caroline Berler; Les Garçons Sauvages, de Bertrand Mandico; e o já citado Permanent Green Light.

Além da competição oficial, irá realizar-se a competição In My Shorts, de filmes de escolas portugueses, cujo vencedor recebe um prémio em equipamento vídeo, no valor de 400 euros, e formação na Escola Restart, no valor de 500 euros.

A 4.ª edição do Queer Porto tem como filme de abertura o documentário Bixa Travesty, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman, e de encerramento Shéhérazade, de Jean-Bernard Marlin.

No âmbito do programa dedicado à moda, serão exibidos os documentários We Margiela, Kevyn Aucoin - Beauty & the beast in me e George Michael: Freedom - Director's Cut.

Nesta edição, o programa Queer Pop, que decorre no Maus Hábitos, é dedicado aos The Knife/Fever Ray. Este espaço irá acolher ainda, no âmbito do festival, a performance Pussy. Na ongoing performative research, de Liad Husssein Kantorowicz, "que aborda e denuncia questões ligadas à discriminação contra as mulheres e à apresentação do feminino como objecto/sujeito sexual", e o concerto de Alexander Geist, "apresentando o seu mais recente trabalho, Speculative".

Na Mala Voadora, será apresentado o espectáculo #LOSMICRÓFONOS, do grupo espanhol Mont de Dutor, "que sugere um mergulho num universo comum que nos rodeia constantemente: a cultura pop".