Óbito

Morreu actor norte-americano Burt Reynolds

No auge de sua carreira, Reynolds foi um dos actores mais lucrativos para a indústria cinematográfica. Actor morreu aos 82 anos.
Foto
Dylan Martinez/Reuters

Burt Reynolds ficou conhecido como um dos actores mais populares de Hollywood devido ao seu charme e beleza. O actor, protagonista de filmes como Fim-de-semana Alucinante, Golpe Baixo e Os Bons e os Maus, durante as décadas de 1970 e 1980, morreu esta quinta-feira, aos 82 anos, avançou o The Hollywood Reporter, citando o seu agente.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

No auge de sua carreira, Reynolds foi um dos actores mais lucrativos para a indústria cinematográfica, oferecendo uma série de sucessos de bilheteira até aos meados da década de 1980, quando a sua carreira abrandou. Mas em 1997, graças ao filme Boogie  Nights, que lhe deu uma nomeação para Óscar de melhor actor secundário, e ao papel que teve na série de televisão Evening  Shades (1990-1994), pela qual ganhou um Emmy, a sua carreira viveu um novo momento de fulgor.

De atleta para os westerns

Burton Leon Reynolds Jr. nasceu a 11 de Fevereiro de 1936 e cresceu na Florida. O jovem destacou-se como atleta e foi jogador de futebol na Universidade Estadual da Florida na década de 1950. Mas um acidente de carro frustrou as suas esperanças de se tornar um jogador profissional.

Reynolds começou a actuar após matricular-se numa faculdade. Mas foi quando se mudou para Nova York que conseguiu pequenos papéis de teatro e de televisão. Em 1961, estreou-se no cinema. Muitas vezes era escolhido para fazer personagens em westerns, como a série popular de televisão Gunsmoke.

Em 1972, no mesmo ano em que Fim-de-semana Alucinante foi lançado, Reynolds também entrou em ABC do Amor, a comédia de Woody Allen, mostrando versatilidade enquanto actor, e iniciando assim a sua grande década de sucesso.

Mas em 2012 o actor lamentou algumas das suas escolhas. "Fiquei com os papéis mais divertidos – 'Oh, isto vai ser divertido.' Não aceitei os papéis que seriam os mais desafiadores", disse ao entrevistador da televisão Piers Morgan. Quando lhe pediram para enunciar o seu próprio epitáfio, Reynolds disse: "Ele viveu uma vida incrível e fez o melhor que conseguiu – o melhor que conseguiu – para não magoar ninguém."