Conteúdo Patrocinado

Este fim-de-semana há concertos a quadruplicar

O ciclo de concertos do Verão na Casa da Música está de volta este fim-de-semana, com encontros marcados na Avenida dos Aliados e em São Pedro do Sul. A entrada é livre.
Foto
Casa da Música

Setembro é aquele mês agridoce. É tempo de despedidas e novos começos. É tempo de idas e tempo de regressos. Falamos do regresso do ciclo de concertos do Verão na Casa [da Música] que depois de um mês em pausa, volta este fim-de-semana para encerar em grande o programa de Verão. Ao todo são quatro concertos fora de portas, dois no Porto e dois em São Pedro do Sul, em que a Orquestra Barroca Casa da Música e a Orquestra Sinfónica do Porto vão até si com concertos a não perder.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

As noites de As Quatro Estações

No dia 7, Sexta-feira, o encontro está marcado para as 22h, na Avenida dos Aliados, no Porto. A entrada é livre e o convite estende-se a toda a família. É lá que vai poder ouvir a Orquestra Barroca Casa da Música, com um concerto que conta com a direcção musical do maestro e violinista Dmitry Sinkovsky. Largamente aclamado pela sua capacidade para tocar com emoção mesmo quando interpreta música de dificuldade transcendente, é com a interpretação de “As Quatro Estações” de Vivaldi que promete surpreender e elevar o Barroco português. Desta interpretação, faz, também, parte a Sinfonia em Fá de Pedro António Avondano.

Esta peça musical que inclui os quatro concertos apelidados de “As Quatro Estações” não lhe é seguramente desconhecida, já que se trata de uma das mais populares da música barroca, com melodias contagiantes e ilustrações musicais de cada uma das estações do ano. Os pássaros, a água da nascente de um rio, o sonho bucólico de um pastor ou uma imitação brilhante de gaitas-de-foles são alguns dos efeitos inesperados que se ouvem nesta obra bem conhecida – nem que seja por ter anunciado durante anos o boletim meteorológico na TV e associar ao som sempre esperançoso da Primavera.

E, embora o repertório seja bem conhecido, para esta noite as expectativas são do que elevadas. “A gravação de “As Quatro Estações” por Dmitry Sinkovsky é provavelmente uma das mais brilhantes e imaginativas deste cavalo-de-batalha, com um resultado electrizante e profundo”. A afirmação é da célebre revista londrina Gramophon, que deixa antever uma noite memorável.

Se não tiver oportunidade de assistir ao concerto na cidade do Porto, tem uma segunda oportunidade no dia seguinte, em São Pedro do Sul. A 8 de Setembro, às 22 horas, é a vez de as Termas de São Pedro do Sul recebem o espectáculo musical “As Quatro Estações”, naquela que é a primeira vez que a Orquestra Barroca Casa da Música visita esta cidade beirã. O concerto, integrado no ciclo “AQVA MÚSICA” assume um formato semelhante ao do Porto. 

Foto
Casa da Música

Volta ao mundo em música clássica

Quando falámos de fim-de-semana de concertos a quadruplicar, não nos enganámos. É que na sexta-feira, à mesma hora que a Orquestra Barroca Casa da Música encanta a Avenida dos Aliados, a Orquestra Sinfónica do Porto actua nas Termas de São Pedro do Sul.

Com direcção musical de Baldur Brönnimann, a Orquestra Sinfónica do Porto sugere uma viagem por paragens tão diversas como a Viena da dinastia Strauss ou o Oeste americano descrito por Copland, passando ainda por obras inspiradas em canções e danças do Leste europeu. O programa inclui ainda a emocionante banda sonora de Korngold para o filme The Sea Hawk, reconhecida como um dos momentos altos da carreira do compositor austríaco que se celebrizou em Hollywood. E porque festa poderá ser sinónimo de dança, Brahms e Enesco trazem-nos obras sinfónicas inspiradas nas canções e danças do Leste europeu. Quem também marca presença é a sensual Carmen, a cigana espanhola amada por tantos e imortalizada por imortalizada por Bizet, compositor francês.

No dia seguinte, a 8 de Setembro, o concerto repete-se, mas desta vez na cidade do Porto. Pelas 22h, a Orquestra Sinfónica do Porto desce à Avenida dos Aliados numa das noites mais festivas da programação para brindar o público portuense com o mesmo espectáculo, naquele que é também um “até para o ano” do Verão na Casa.