Opinião

Escolas de Leiria e Braga vão ter jogos de tabuleiro modernos

Os jogos de tabuleiro modernos podem ser aplicados e utilizados em todos os públicos, de todas as idades e contextos. Em Leiria e em Braga vão ser utilizados com crianças do ensino básico, entre os seis e os 10 anos.
Foto
Jaciel Melnik/Unsplash

Foram já vários os textos que aqui escrevi no P3 sobre a essência dos jogos de tabuleiro modernos, de como se diferenciam das demais experiências lúdicas, da razão pela qual estão a gerar um novo interesse em tantas pessoas e, até, nas potencialidades do seu uso como elemento de gamificação e serious game. Sobre todos esses assuntos ainda há muito que falar, mas surgiu uma novidade que promete agitar o panorama nacional nesta matéria.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

Tanto Leiria como Braga vão ter actividades extracurriculares formais de jogos de tabuleiro modernos em algumas das suas escolas, já no próximo ano lectivo. Os Boardgamers de Leiria — um projecto da associação Asteriscos — e a Cidade Curiosa — uma associação de Braga com múltiplas actividades de jogos de tabuleiro no Norte do país e que teve uma proposta aprovada no Orçamento Participativo de Portugal — vão implementar essas actividades.

Há uns anos isto parecia impossível. Eram pouco mais de uma dúzia as pessoas a conhecer e jogar estes jogos em Portugal. Desde então começaram a surgir vários aficionados, grupos formais e informais um pouco por todo o país, associações, clubes, lojas, eventos, convenções, blogues, canais de YouTube. Formou-se uma verdadeira comunidade espalhada de Norte a Sul do país, com forte incidência nos principais centros urbanos. Hoje estamos a falar de milhares de pessoas.

Agora estão a surgir as condições culturais — pois isto é uma forma de cultura — para usar estes jogos como ferramentas para outros fins, além da mera dimensão lúdica, implementando conceitos de gamificação e serious game com jogos de tabuleiro modernos. Começam a surgir as primeiras formações e cursos com este tipo de ferramentas, direccionados para temas como as soft skills, mas também para a gestão e o planeamento. Para além destas áreas, tal é o potencial destes jogos como ferramentas, muito mais ofertas criativas vão surgir.

Os jogos de tabuleiro modernos podem ser aplicados e utilizados em todos os públicos, de todas as idades e contextos. Em Leiria e em Braga vão ser utilizados com crianças do ensino básico, entre os seis e os 10 anos. Estas crianças vão ter uma hora por dia de diversão educativa à mesa com os novos jogos. Esse tempo diário vai contribuir para desenvolver, de uma forma natural, competências sociais e cognitivas, mas também completar os conteúdos curriculares formais (matemática, história, geografia, expressão plástica, etc.). Os jogos de tabuleiro modernos vão demonstrar que a escola pode ser divertida quando se aplicam metodologias e materiais adequados.

Um dia, todas as crianças terão este tipo de ferramentas nas suas escolas. A comunidade de boardgamers de Portugal, apaixonados por este mundo social e criativo dos jogos de tabuleiro modernos, de certeza que fará por isso. Esse trabalho não surge por motivação económica, mas por verdadeira paixão, algo que faz mover o nosso mundo pós-moderno.

Só tenho pena de já não ser criança para poder desfrutar disto.