BCE quer sistema único europeu de pagamentos electrónicos para concorrer com Paypal

Riscos geopolíticos, como os gerados pelas tarifas aduaneiras da administração de Donald Trump, preocupam Banco Central Europeu.

Zona euro não dispões de uma rede única de pagamentos lectrónicos.
Foto
Zona euro não dispões de uma rede única de pagamentos electrónicos Paulo Pimenta

Yves Mersch, membro executivo do Banco Central Europeu (BCE), lançou esta semana um repto aos bancos europeus para que criem um sistema electrónico de pagamentos comum, não escondendo a preocupação pela dependência de serviços “não europeus”, como o Paypal.

O desafio do Yves Mersch não se confina apenas à criação de um sistema comum para pagamentos digitais na zona euro, uma vez que defende que esse operador deve ter capacidade para fazer alianças pan-europeias.

Citado pela Bloomberg, o membro do BCE afirmou preocupação pela dependência de serviços não europeus para pagamentos domésticos na Europa. "Temo que os gigantes globais usem a sua rede para aumentar ainda mais a sua presença na Europa”. E esses gigantes são os norte-americanos Paypal, que dominam os pagamentos digitais na Europa, mas também a Apple Pay, o Pay Google, entre outros grandes operadores.

Mersch alertou para o facto de, no actual cenário geopolítico, os riscos não serem tão longínquos  como eram, devendo “ser levados a sério pelos responsáveis europeus", numa alusão às políticas comerciais de Donald Trump, que estão a afectar os seus parceiros comerciais. "A jurisdição extraterritorial [dos operadores de pagamentos] poderia, na pior das hipóteses, afectar o funcionamento dessas empresas e interromper pagamentos entre contrapartes europeias. No actual ambiente geopolítico, esses riscos, infelizmente, não são tão remotos quanto eram no passado ", afirmou.

O caminho a percorrer para a criação de um sistema de pagamentos electrónicos comum pode ser longo. Isto porque, como destacou o responsável numa conferência em Paris, os bancos europeus ainda não foram capazes de criar um sistema comum para pagamentos com cartões de débito e de crédito.

"A Europa ainda não dispõe de uma rede integrada e padronizada de pagamento de cartão”, disse, alertando para a necessidade dos bancos agirem rapidamente, se não quiserem continuar a perder terreno para grandes players internacionais".

Actualmente, cada Estado-membro possui a sua própria rede de pagamentos electrónicos, cartões e caixas automáticas, sem integração plena. A Alemanha tem o sistema Girocard, a França o Cartes Bancaires e em Portugal o Multibanco, mas ainda há países sem um sistema único. "Construir redes locais ou nacionais é uma solução anacrónica que não responderá às necessidades do mercado", defendeu o responsável do BCE pelos sistemas de pagamentos.