Actor a trabalhar em supermercado insurge-se contra o preconceito laboral

Geoffrey Owens, actor norte-americano conhecido pela participação em The Cosby Show, foi alvo de notícias em tom jocoso por estar a trabalhar num supermercado. Recusa ter vergonha do seu emprego actual e criticou quem acha que "há trabalhos melhores do que outros".

Foto
Owens (não presente nesta foto) participou em The Cosby Show, de Bill Cosby Reuters

Geoffrey Owens é um actor norte-americano, conhecido sobretudo pelo público do seu país pela participação na série televisiva The Cosby Show, de Bill Cosby, um sucesso de audiências durante os anos 80 e 90. Voltou recentemente a estar sob os holofotes, não por um novo projecto televisivo, mas por ter sido encontrado a trabalhar num supermercado em Nova Jérsia pertencente à cadeia norte-americana Trader Joe’s.

A história tinha sido divulgada em tom jocoso pelo jornal inglês Daily Mail e pelo canal televisivo norte-americano Fox News, com o tablóide britânico a usar como título um trocadilho em inglês: “De decorar falas (lines) a servir longas filas (lines)”.

Entretanto, Owens foi entrevistado pelo canal ABC, declarando-se revoltado com o tom das notícias e defendendo a dignidade do seu trabalho. “Quando vi as imagens fiquei mesmo devastado”, contou ao programa Good Morning America. “Mas foi por pouco tempo”, acrescentou.

Logo após a divulgação das primeiras imagens, vários actores e personalidades, bem como simples utilizadores das redes sociais, vieram defender Owens, que agradeceu o apoio chegado de todo o mundo. Foi “realmente esmagador, mas num bom sentido”, descreve.

Owens explica que trabalha naquele supermercado há cerca de 15 meses. Antes, dava aulas de teatro e realização, mas não conseguia obter dinheiro suficiente para pagar as suas contas. E, explica, apenas escondeu o seu emprego dos seus colegas actores para que não pensassem que já não estava “interessado na representação”.

Ao mesmo tempo, Owens recusa qualquer hipótese de "cunha" resultante desta polémica. "Prefiro arranjar um trabalho por ser a pessoa certa", disse em resposta a inúmeros convites recebidos, como o do cineasta Tyler Perry, que lhe escreveu para que se juntasse ao elenco de uma nova série.

“Sinto que sou mais uma celebridade agora do que alguma vez fui. Sou mais celebridade agora do que quando era mesmo uma celebridade”, brincou durante a entrevista à ABC. No entanto, Owens quer que o episódio lance um debate sobre a dignidade do trabalho: “Espero que reavaliem a ideia de que há trabalhos melhores do que outros. Podem pagar melhor, ter conceder mais benefícios ou soar melhor num currículo, mas não são melhores”.

Vários actores, como o neozelandês Chris Rankin, da saga Harry Potter, elogiaram Owens e aproveitaram para partilhar as suas experiências profissionais. Muitas vezes, entre a gravação de filmes e séries, ou nos anos que antecedem um período de maior sucesso, o trabalho de inúmeros artistas passa por empregos mais convencionais.

Owens interpretou Elvin Tibideaux, genro da personagem de Bill Cosby durante as cinco últimas temporadas do The Cosby Show, que esteve no ar entre 1985 e 1992. No currículo, o actor conta também com séries como Nunca chove em Filadélfia e That’s so Raven