Recital do Barcelona

Goleada ao Huesca (8-2) na terceira jornada da Liga espanhola.

Foto
Reuters/ALBERT GEA

Foram oito golos marcados e outros tantos desperdiçados, numa tarde de recital do Barcelona em Camp Nou. A equipa catalã até começou por apanhar um susto, porque esteve a perder na recepção ao Huesca, mas tudo acabou em festa e em goleada (8-2).

Os espectadores ainda estariam a sentar-se nos lugares e o Huesca já festejava: Juan Camilo Hernández adiantou os visitantes no marcador logo aos três minutos, e assim esteve até aos 16’, altura em que o incontornável Lionel Messi restabeleceu a igualdade.

Um autogolo de Jorge Pulido colocou o Barcelona a ganhar pela primeira vez na tarde deste domingo, e Luis Suárez ampliou para 3-1 aos 39’. Só que, ainda antes do intervalo, o Huesca tornou a dar sinal de vida: Álex Gallar correspondeu ao passe de Moi Gómez e deixou tudo na diferença mínima.

Só que a segunda parte foi um pesadelo para o emblema recém-promovido à Liga espanhola. De rajada, Ousmane Dembélé fez o 4-2 (48’) e Ivan Rakitic ampliou para 5-2 (52’).

Aos 61’ Lionel Messi fez o segundo da conta pessoal e parecia ser o fim da história em Camp Nou.

Já com o português Rúben Semedo em campo (foi lançado pelo treinador do Huesca aos 65’), o marcador voltaria a funcionar aos 81’, quando Jordi Alba marcou o 7-1. Já no período de compensação, de grande penalidade, Luis Suárez estabeleceu o resultado final.