O reino dos documentários volta a Arcos de Valdevez

De 2 a 7 de Setembro, um grupo de cem pessoas vai encontrar-se na vila raiana de Viana do Castelo para ver filmes documentais e discuti-los.

Foto
Out of the Present (1997), do romeno Andrei Ujica

O Doc’s Kingdom, em que durante uma semana o mesmo grupo de cem pessoas vai a várias exibições de filmes e dialoga sobre eles, está de volta para a 15ª edição. O seminário, que existe intermitentemente desde 2000 e está desde 2015 em Arcos de Valdevez, vai durar de 2 a 7 de Setembro.

O arranque propriamente dito faz-se logo no primeiro dia, domingo, às 21h, com uma sessão de Out of the Present, o documentário de 1997 assinado pelo romeno Andrei Ujica que retrata o dia-a-dia da Mir, a estação espacial russa que esteve activa até 2001. O próprio realizador estará presente, como, aliás, João Pedro Rodrigues, que realizou O Ornitólogo, na sessão de encerramento na quinta-feira, às 21h30. Além destes, alguns convidados estão ainda por confirmar, mas nomes como a brasileira Maria Augusta Ramos, a norte-americana Deborah Stratman, Jumana  Manna, o mexicano Nicolás  Pereda e o colectivo da Universidade de Londres Forensic  Architecture, também marcarão presença. Os filmes que vão passar, além dos dois já mencionados, não são divulgados de antemão.

A programação deste ano está a cargo da brasileira Patrícia Mourão e do director do Doc’s Kingdom, Nuno Lisboa, e o título orientador é Máquina do Mundo, que, diz o comunicado de imprensa do evento, “propõe um programa de investigações e experiências que reinvestem na capacidade do cinema mergulhar na contingência do tempo histórico e atestar a evidência incontestável do real”, com géneros que vão “do documentário observacional à arquitectura forense”. É ainda mencionada a inspiração de Luís Vaz de Camões, Carlos Drummond de Andrade e do arcuense Padre Himalaya. 

Para os sócios da Apordoc e quem mora no concelho de Arcos de Valdevez, as inscrições para todo o evento, incluindo debates e sessões, são gratuitas, sendo que custam 30 euros para as outras pessoas. Depois de acabar o seminário propriamente dito, Andrei Ujica estará no dia 8, sábado, na Cinemateca, para mostrar Videogramas de uma Revolução, e Maria Augusta Ramos no Goethe-Institut, a mostrar, numa sessão de entrada livre, o seu filme Juízo, de 2007, e a conversar com Patrícia Mourão, tudo em Lisboa.