Líder da JSD diz que PS vê pessoas como "trunfos eleitorais"

Margarida Balseiro Lopes esteva na Universidade de Verão do PSD/Açores.

Margarida Balseiro Lopes
Foto
Margarida Balseiro Lopes LUSA/JOSE COELHO

A presidente da Juventude Social-Democrata (JSD), Margarida Balseiro Lopes, acusou nesta quinta-feira o PS de "muitas das vezes" olhar para os cidadãos como "trunfos eleitorais e não destinatários" da acção política.

O PSD, advogou a dirigente numa sessão nos Açores, na ilha de Santa Maria, é o partido que tem uma "melhor visão da sociedade, do mundo, do país, da região", e, falando perante dezenas de jovens, asseverou que o cartão de militante não significa a entrega "do cérebro nem do sentido crítico".

"É por isso que choca tanto que muitas das vezes o PS olhe para as pessoas como ganhos ou trunfos eleitorais e não destinatários da acção política", sustentou Margarida Balseiro Lopes.

Para a líder dos jovens sociais-democratas, o PS nos Açores, com a sua governação, oferece a quem começa a carreira laboral "estágios e estágios, vendendo ilusões" e sem proporcionar "ferramentas" para que cada jovem "se possa afirmar a longo prazo" com os seus "projectos de vida".

Depois, e traçando um comparativo com o executivo da Madeira, do PSD, Balseiro Lopes sublinhou que no campo da Educação o executivo madeirense quis, "independentemente da vontade do Governo da República", resolver a questão do tempo de carreira dos professores.

"Aqui [nos Açores], o Governo do PS está à espera da autorização ou da vontade do Governo da República", também socialista, frisou a presidente da JSD.

A quinta edição da Universidade de Verão do PSD/Açores e da JSD/Açores iniciou-se esta manhã com a presença da líder dos jovens sociais-democratas, mas sem o presidente do partido, que chegou a integrar o programa.

Ao longo de quatro dias, estão reunidos na ilha de Santa Maria cerca de 30 jovens açorianos, em jornadas que vão "abordar as grandes questões dos Açores e do mundo, como inovação e tecnologia, turismo, União Europeia, poder local, participação na política, agricultura, coesão e comunicação".

Deputados locais, nacionais e ao Parlamento Europeu, autarcas e outras figuras da sociedade civil, casos de Gonçalo Lobo Xavier, membro do Comité Económico e Social Europeu, Ana Andrade, professora da Universidade Católica Portuguesa, ou Carlos Santos, presidente do Observatório do Turismo dos Açores, integram também os trabalhos a decorrer na Vila do Porto.

Entre a primeira edição da Universidade de Verão, em 2014, e contando com a edição deste ano, passaram pelo evento de formação política e cívica cerca de 160 jovens de todas as ilhas dos Açores.