Produtores de leite da região de Aveiro recusam descida do preço

Comissão de Defesa dos Produtores de Leite da Região de Aveiro, solicitou um encontro com a direcção da Proleite para que os seus delegados no conselho de administração da Lactogal não aceitem novas descidas do preço do leite

Foto
No incício deste mês, vários produtores manifestaram-se, no Porto contra estratégia da Lactogal Adriano Miranda

A "Comissão de Defesa dos Produtores de Leite da Região de Aveiro" anunciou hoje que pediu à Proleite uma reunião, para que recuse mais descidas do preço pago à produção.

Por causa da "degradação da situação do sector", a "Comissão de Defesa dos Produtores de Leite da Região de Aveiro", formada para acompanhar a situação e apoiada pela Confederação Nacional de Agricultura (CNA) solicitou um encontro com a direcção da Cooperativa Agrícola de Produtores de Leite do Centro Litoral (Proleite), com sede em Oliveira do Azeméis. A Proleite, recorde-se, em comunicado emitido a 8 de Agosto, chegou a defender que se tornou "imperioso reduzir a produção de leite em Portugal".

Uma das questões que a comissão pretende colocar é um apelo para que os delegados da Proleite ao conselho de administração da Lactogal não aceitem novas descidas do preço do leite nos rodutores.

A Lactogal é uma empresa agroalimentar especializada em lacticínios e derivados, criada em 1996 pelas cooperativas Agros, Lacticoop e Proleite/Mimosa.

"Aquilo que se exige também é que suba o actual preço do leite na produção", refere um comunicado da comissão, que pretende ver discutidas as perspectivas para os próximos contratos quanto ao escoamento e ao preço do leite pago na produção.

Outras questões a debater são a sanidade animal e os custos de vários serviços aos produtores, bem como a retoma das "quotas leiteiras" a nível da União Europeia, com a reforma da Política Agrícola Comum (PAC) após 2020.