Uma estrada com duas vias para FC Porto e uma para o Benfica

“Dragões”, afortunados com o adversário saído do pote 1, podem encarar com realismo o apuramento para os oitavos-de-final, inclusive no primeiro lugar. “Encarnados” estarão, à partida, limitados a lutar pela segunda posição do grupo.

Foto
LUSA/GUILLAUME HORCAJUELO

A este nível, todos os adversários são difíceis e o facto de a elite europeia ser composta apenas por 32 clubes ajuda a ilustrar o que está em causa. Este é um lugar comum entre o discurso dos agentes do futebol. Mas mesmo neste cenário de adversidades competitivas há perspectivas mais ou menos risonhas, em função das possibilidades e do historial de cada concorrente. Por isso, encarar como relativamente favorável para o FC Porto o desfecho do sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões e como difícil, mas possível a tarefa do Benfica não será desvalorizar a missão que os clubes portugueses têm pela frente.

A melhor notícia para os “dragões” saiu logo do pote 1, quando, de entre um lote que continha os crónicos candidatos à conquista do troféu, foram emparelhados com o Lokomotiv Moscovo. A 63.ª equipa do ranking da UEFA, que fez da solidez defensiva uma das imagens de marca durante a campanha que lhe valeu a conquista do título russo, nunca mediu forças com o actual campeão português, mas será um rival ao alcance do melhor FC Porto.

“O grupo é muito equilibrado, todas as equipas têm as mesmas hipóteses de se qualificarem. Claro que ficarei contente por regressar a Gelsenkirchen, ainda que seja estranho para mim defrontar o Schalke”, admitiu Benedikt Höwedes, central alemão que actualmente representa o Lokomotiv e que durante mais de uma década alinhou no Schalke.

Boas memórias de Gelsenkirchen tem também o FC Porto, que se sagrou campeão europeu pela última vez naquele palco. Pela frente, desta vez terá um rival que subiu de nível na última época (terminou a Bundesliga em segundo) e que já foi semifinalista da Champions, em 2010-11. Um Schalke treinador pelo promissor Domenico Tedesco.

O último obstáculo do FC Porto no Grupo D é o Galatasaray, um velho conhecido do futebol português mas que nunca se cruzou com os “dragões” — ainda que na época passada tenham defrontado o então campeão turco, o Besiktas.

Tudo somado, num agrupamento aberto os “azuis e brancos” poderão encarar com confiança o cenário da qualificação, seja no primeiro ou no segundo lugar. O mesmo não poderá dizer-se do Benfica, a não ser que o Bayern Munique se apresente muitos furos abaixo do que tem mostrado nos últimos anos — algo de improvável a julgar pelo arranque da temporada, com três vitórias em três jogos oficiais.

Num Grupo E claramente inclinado a favor dos bávaros, os “encarnados” estarão condenados a lutar pela segunda posição e para lá chegarem terão de deixar pelo caminho o Ajax e o AEK de Atenas. Os holandeses, uma potência europeia da década de 1970 e que ganhou em 1994-95 o último título continental, têm um currículo nivelado no frente a frente com o Bayern (três vitórias, dois empates e três derrotas) e saem a ganhar no braço-de-ferro com o Benfica (três vitórias, um empate e uma derrota).

Este historial talvez contribua para o discurso moderado de Karl-Heinz Rummenigge, antigo jogador e actual administrador do Bayern: “É um grupo atractivo, com o qual ficámos satisfeitos. O objectivo é passar, mas não podemos desvalorizar estes três adversários, que provaram na época passada quão fortes são. Jogámos várias vezes em Lisboa no passado e temos memórias positivas desses encontros”.

Em teoria, dos quatro concorrentes aquele que estará mais longe do topo é o AEK. Até porque o campeão grego, que tem como melhor cartão-de-visita na prova os quartos-de-final em 1968-69, tem andado afastado da alta roda do futebol europeu.

Grupo A
Atlético Madrid (Espanha)
Borussia Dortmund (Alemanha)
Mónaco (França)
Club Brugge (Bélgica)

Grupo B
Barcelona (Espanha)
Tottenham (Inglaterra)
PSV (Holanda)
Inter Milão (Itália)

Grupo C
PSG (França)
Nápoles (Itália)
Liverpool (Inglaterra)
Estrela Vermelha (Sérvia)

Grupo D
Lokomotiv Moscovo (Rússia)
FC Porto (Portugal)
Schalke 04 (Alemanha)
Galatasaray (Turquia)

Grupo E
Bayern Munique (Alemanha)
Benfica (Portugal)
Ajax (Holanda)
AEK Atenas (Grécia)

Grupo F
Manchester City (Inglaterra)
Shakhtar Donetsk (Ucrânia)
Olympique Lyon (França)
Hoffenheim (Alemanha)

Grupo G
Real Madrid (Espanha)
Roma (Itália)
CSKA Moscovo (Rússia)
Viktoria Plzen (Rep. Checa)

Grupo H
Juventus (Itália)
Manchester United (Inglaterra)
Valência (Espanha)
Young Boys (Suíça)