Banca

Crédito Agrícola lucra mais 37% para 64 milhões

O banco liderado por Licínio Pina registou, nos primeiros seis meses do ano, uma melhoria nos principais indicadores da actividade.
Foto
LUSA/MIGUEL A. LOPES

O Crédito Agrícola alcançou lucros consolidados de 64,2 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, mais 37%, ou mais 17,3 milhões de euros, do que em igual período do ano passado, revelou hoje a instituição em comunicado.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

Deste valor de resultado líquido consolidado, o negócio bancário contribuiu com 58,4 milhões de euros, aumentando 34% face ao período homólogo de 2017.

Em 30 de Junho passado, a carteira de crédito (bruto) a clientes do Grupo Crédito Agrícola ascendeu a quase 9,6 mil milhões de euros, revelando um aumento de 6,3% face a Junho de 2017.

O rácio que mede o peso dos melhores fundos próprios do grupo, o common equity Tier 1 foi, segundo as regras transitórias a que está sujeito, de 13,9% em Junho deste ano, o que corresponde a um crescimento de 0,9 pontos percentuais em relação aos 13,1% de Junho do ano anterior.

Para o resultado, contou o crescimento de 2,5%, para 173,5 milhões de euros, da margem financeira (resultante da diferença entre os juros cobrados em créditos e os juros pagos em depósitos).

O grupo, no comunicado hoje divulgado, afirma que tem vindo a “dar continuidade a uma gestão sã e prudente”, que diz reflectir-se nas imparidades de crédito acumuladas a Junho de 654 milhões de euros, valor que diz conferir “um folgado nível de cobertura do crédito vencido” de 130,9%.