Instagram

Miniaturas para falar de um enorme problema: seremos escravos do trabalho?

Derrick Lin
Fotogaleria
Derrick Lin

Uma mulher está sentada na borda de uma chávena com uma resma de papéis na mão e outros tantos que voam. A legenda diz: "Às vezes só queremos mandar tudo pelos ares e não pensar mais nisso." Um homem prepara-se para saltar para a piscina do topo da cabeça de uma orca. A legenda conta: "Estamos constantemente na corda bamba quando trabalhamos com colegas de trabalho imprevisíveis." Uma secretária mistura um garfo, molhos e tacos com homens a trabalhar com uma retroescavadora. A legenda aponta: "Tornamo-nos mestres em criar rapidamente a nossa mesa de jantar no nosso local de trabalho." As cenas são montadas com bonecos e objectos em miniatura, mas representam um real e grande problema: o mundo de trabalho invadiu a nossa vida pessoal — e muitos esqueceram o direito a desligar, que em alguns países já viu a sua importância reforçada com novas alíneas nas leis.

Estávamos em 2014 e Derrick Lin, publicitário de Singapura a viver nos EUA, notava que, "na era das redes sociais, quando quase tudo pode ser partilhado, as pessoas geralmente evitam fazer queixas sobre o trabalho". E isso, acredita, só pode ser resultado de uma máscara social: "Passamos boa parte do nosso tempo no trabalho e naturalmente temos muitas frustrações", disse à revista Vice. Para levar às redes sociais o que pouco vai nelas, Derrick Lin começou a retratar diversas situações —  das mais cómicas às mais sérias — com fotografias que transformavam "momentos frustrantes" passados no trabalho em "histórias visuais", muitas delas com uma dose de humor à mistura.

No Instagram, Derrick foi-se tornando popular, ganhando milhares de seguidores (são mais de 66 mil actualmente) e, há coisa de um ano, publicou um livro com as melhores histórias publicadas (e algumas inéditas). Mas o projecto não ficou por ali. A série, explica, ajuda-o a não perder de vista o lado positivo das coisas e a ultrapassar os obstáculos que vai encontrando. E quem sabe possa também servir para alertar algumas entidades patronais e trabalhadores pouco dados ao equilíbrio. Pelo menos para ele, que se libertou de rotinas, já funcionou: "Percebi a importância de abrandar e arranjar tempo para mim. Teremos sempre tarefas intermináveis à nossa espera, mas algumas delas podem realmente esperar."

Derrick Lin
Derrick Lin
Derrick Lin
Derrick Lin
Derrick Lin
Derrick Lin
Derrick Lin
Derrick Lin
Derrick Lin
Derrick Lin
Derrick Lin