Uber vai focar-se nas bicicletas eléctricas

Em entrevista ao Financial Times, o presidente executivo partilhou a intenção de apostar em alternativas mais eficientes em grandes cidades.

Foto
Reuters/Toby Melville

A plataforma electrónica de transporte de passageiros Uber vai apostar em bicicletas eléctricas e scooters. Actualmente, a empresa opera com base no transporte de passageiros em automóveis, mas, numa entrevista ao Financial Times, o presidente executivo Dara Khosrowshahi disse que iria começar a olhar para opções de transporte individual, que são mais eficientes em cidades com trânsito.

O gestor conta que esta será uma “estratégia a longo prazo”, uma vez que a curto prazo não trará um bom resultado financeiro.

“Durante as horas de ponta é pouco eficiente que um pedaço de metal com uma tonelada de peso transporte uma pessoa numa distância de dez quarteirões”, apontou o presidente executivo da Uber.

“Somos capazes de mudar o comportamento de uma forma que seja uma vantagem para o utilizador e para a cidade. Financeiramente falando, talvez não seja vantajoso a curto prazo para nós, mas, se pensarmos de forma estratégica e a longo prazo, acreditamos que é exactamente por aí que queremos ir”, explicou o gestor da empresa norte-americana.

A empresa já começou a investir nas bicicletas eléctricas no último ano. Nos Estados Unidos, existem pelo menos oito cidades que já dispõem deste serviço: o Jump. Em breve, também Berlim irá aumentar a lista de cidades com bicicletas da Uber.

“Estamos dispostos a trocar os lucros a curto prazo por uma fidelização maior, a longo prazo”, explicou ao jornal norte-americano.

Khosrowshahi reconhece que a estratégia irá significar a extinção de lugares de motoristas, mas argumenta que os que ficarem beneficiarão de viagens mais longas.