Família de Prince processa médico do cantor

De acordo com os familiares de Prince, Michael Schulenberg teve um papel “significativo” na morte do cantor. Tentam obter uma indemnização de 50 mil dólares (cerca de 43 mil euros).

Foto
REUTERS/Olivia Harris/File

A família de Prince acredita que o médico que o tratou nas últimas semanas de vida e prescreveu medicamentos analgésicos, Michael Schulenberg, teve um papel “significativo” na morte do cantor, que morreu com uma overdose de analgésicos opióides, em Abril de 2016, de acordo com a Page Six.

O processo que colocaram em tribunal acusa o médico de ter falhado o diagnóstico de dependência de opióides, o que poderia prevenir a sua morte, alegando que este teria tido todas as condições para o fazer. Exigem, assim, uma compensação de 50 mil dólares (cerca de 43 mil euros). 

“Ele não teve sucesso em fazer a avaliação, diagnosticar, tratar e aconselhar Prince para a sua reconhecível dependência de opióides e, além disso, não conseguiu tomar os passos apropriados e razoáveis para prevenir o resultado fatal dessa dependência”, acusa a família no processo, citado pela Page Six. “Estes desvios da prática médica padrão e aceitável tiveram um papel significativo na morte de Prince.”

O advogado de Schulenberg nega as acusações da família. “Compreendemos que tem sido difícil para toda a gente próxima de Nelson [Prince] e os seus fãs. Ainda assim, Schulenberg continua a defender o cuidado que Nelson recebeu”, diz em comunicado, citado pela revista Vanity Fair.

O processo da investigação da morte de Prince tinha sido arquivado em Abril deste ano, não havendo acusações. O procurador Mark Metz declarou, então, numa conferência de imprensa, que “não foram encontradas provas de que os medicamentos [que causaram a overdose de Prince] foram receitados por um médico”. Ainda assim, Schulenberg admitiu ter receitado um analgésico a uma pessoa próxima de Prince, com a consciência de que o fármaco era para o cantor. A investigação revelou que essa pessoa era Kirk Johnson, guarda-costas do artista. O caso não foi a tribunal, já que Schulenberg aceitou pagar 30 mil dólares (aproximadamente 25,8 mil dólares) e ser submetido a um controlo de conduta durante os próximos dois anos.