Crime

Corpo encontrado em Avis é de triatleta Luís Grilo

Fonte da PJ confirmou que autópsia já foi feita. Corpo do atleta desaparecido a 16 de Julho foi encontrado a 134 quilómetros de casa e indícios apontam para morte violenta.
Foto
Direitos Reservados

Nada da vida do triatleta Luís Miguel Grilo faria suspeitar que a sua vida pudesse terminar desta forma. O corpo do engenheiro informático de profissão, 50 anos de idade, foi encontrado sexta-feira, em Avis, distrito de Portalegre, já em avançado estado de decomposição, na sequência do que a Polícia Judiciária considera ter-se tratado de uma morte violenta, já que estava sem roupa e com um saco na cabeça.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

A autópsia feita este domingo confirmou, segundo adiantou a PJ ao PÚBLICO, a correspondência entre o cadáver encontrado sexta-feira e o triatleta desaparecido a 16 de Julho. Luís Miguel Grilo saíra de casa, em Cachoeiras, no concelho de Vila Franca de Xira, dizendo à mulher que ia fazer um treino de hora e meia a duas horas.

O seu desaparecimento tem vindo a ser investigado desde então, tendo a GNR, no decurso das buscas no terreno, encontrado o seu telemóvel dois dias depois. O aparelho estava desligado, fora da bolsa de plástico onde costumava ser transportado, e fora aparentemente atirado para a berma de uma estrada no concelho de Alenquer, a seis quilómetros de casa.

O crime não terá sido cometido em Avis, já que, como adiantara o Jornal de Notícias, o corpo apresentava sinais de ter sido arrastado para o local onde viria a ser encontrado por um homem que fazia uma caminhada na zona e que estranhou o cheiro a putrefacção. Além de estar sem roupa e com um saco na cabeça, a vítima terá sofrido pelo menos uma pancada na cabeça. O local em causa dista 134 quilómetros do local onde o atleta vivia.

Luís tinha regressado há duas semanas de Frankfurt, na Alemanha, onde participara naquela que é uma das provas mais exigentes do triatlo, que combina 3,8 quilómetros de natação, 180 de ciclismo e 42 de corrida. Ficara em 663 da geral, num universo de 2300 participantes. 

Casado e com um filho de 12 anos, Luís Miguel Grilo era engenheiro informático de profissão. Tornou-se conhecido por praticar triatlo com a equipa Wikaboo e o seu desaparecimento foi amplamente difundido nas redes sociais.

Descrito como persistente, calmo e com sentido de humor pelos amigos que se desdobraram nas últimas semanas em declarações aos jornalistas, a propósito do seu desaparecimento, Luís Miguel Grilo aparentemente nada fizera que permitisse admitir a hipótese de fuga. "Não há um indicador de problemas, nem financeiros nem de saúde ou a nível familiar", asseverou um dos seus amigos ao jornal digital Observador, apontando-lhe um amor incondicional pelo filho. 

“Tinha estado com ele dois dias antes do seu desaparecimento e ele até estava um bocado eufórico porque a prova que tinha feito em Frankfurt correra bem e tinha planos para o futuro”, declarou a PÚBLICO, Nuno Barradas, treinador na Wikaboo e amigo desde há vários anos. “Era um pequeno empresário e admito que, tal como todos os portugueses, tenha tido algumas dificuldades financeiras, mas nunca lhe ouvi nada que pudesse indiciar alguma preocupação fora do normal”, acrescentou, dizendo-se “estupefacto” com a descrição da descoberta do seu cadáver. “Não consigo encontrar nenhuma explicação que ajude a perceber o que lhe aconteceu”.