Três mortos em ataque durante torneio de videojogos na Florida

O atacante, um dos participantes na competição, é uma das pessoas mortas.

Foto
Uma imagem do Google Street View que mostra o centro comercial onde decorreu o ataque DR

Um ataque levado a cabo por um homem armado durante um torneio de videojogos que decorria num centro comercial em Jacksonville, na Florida, EUA, provocou três mortos, incluindo o próprio atacante, e cerca de uma dezena de feridos. 

A identidade do atacante não foi revelada pelas autoridades, mas testemunhas locais citadas pela Reuters dizem que se trata de um homem de 24 anos, David Katz, 24, of Baltimore, que estava "furioso" por ter perdido o torneio no dia anterior. Numa conferência de imprensa, a polícia local adiantou apenas tratar-se de um homem, que era um dos participantes do torneio, e que se suicidou depois de ter disparado sobre os outros jogadores. Disse ainda não saber se o atacante conhecia as vítimas, que também não foram identificadas.

Pelo menos três das pessoas que foram transportadas para os serviços médicos estão numa condição "estável", segundo um porta-voz de um hospital local. Várias das vítimas tiveram ferimentos ligeiros.

As autoridades apelaram às testemunhas que enviem gravações do momento do ataque ou qualquer outra informação. 

A polícia local deu por volta do fim da tarde (hora de Lisboa) o alerta de que estava a decorrer um ataque num centro comercial, tendo pedido às pessoas que se mantivessem calmas e escondidas. "Sabemos que existem várias pessoas escondidas e trancadas. Pedimos que se mantenham calmas, mantenham-se onde estão escondidas. Há uma equipa SWAT [uma força especial da polícia] a trabalhar no local. Iremos chegar até vocês. Por favor não saiam a correr", apelou o xerife de Jacksonville, no Twitter e no Facebook. 

No torneio, os jogadores competiam em Madden 19, um videojogo de futebol americano. A competição estava a ser transmitida através de um serviço de streaming na Internet quando o ataque começou.

No vídeo da transmissão, vêem-se dois jogadores no canto inferior direito, enquanto a maior parte do ecrã mostra o jogo. As imagens dos dois jogadores foram imediatamente retiradas no momento em que a câmara captou um laser apontado a um dos jogadores. O vídeo ainda captou o som de vários disparos e gritos.

Ao PÚBLICO, Jason Lake, fundador e representante da compLexity Gaming, uma das equipas que participava no evento, contou que o seu jogador foi atingido na mão, "mas vai ficar bem."

"Estamos obviamente chocados e tristes com o que aconteceu esta tarde", declarou ao PÚBLICO. "O nosso jogador, Drini, foi atingido no polegar, mas vai ficar bem. Conseguiu fugir até um ginásio nas redondezas. Está actualmente a cooperar com as autoridades e iremos tirá-lo de Jacksonville assim que tivermos luz verde das autoridades no local", acrescentou. 

No Twitter, Drini Gjoka, o jogador de 19 anos atingido na mão, escreveu que este foi "o pior dia" da sua vida.

O ataque deste domingo aconteceu no meio de um renovado debate sobre o acesso a armas de fogo nos Estados Unidos. Foi também neste estado norte-americano que em Fevereiro deste ano 17 alunos e funcionários da Escola Secundária Marjory Stoneman Douglas foram atingidos mortalmente por um antigo aluno com uma espingarda semi-automática.

O ataque de Fevereiro inspirou o movimento March For Our Lives (Marcha Pelas Nossas Vidas), liderado por um grupo de estudantes e activistas que defendem políticas restritas no acesso às armas nos Estados Unidos.