CDS quer saber se comboio do PS teve tratamento privilegiado

Centristas enviam perguntas ao ministro do Planeamento e Infra-estruras sobre comboio fretado pelo PS à CP.

A CP fretou um comboio ao PS para levar militantes à festa de Caminha
Foto
A CP fretou um comboio ao PS para levar militantes à festa de Caminha Nelson Garrido

O CDS, tendo em conta várias notícias vindas a público sobre o comboio especial fretado pelo PS à CP para transportar militantes até Caminha, enviou um conjunto de perguntas ao ministro do Planeamento e Infra-estruturas, Pedro Marques.

Os centristas citam notícias que dão conta de que a CP aceitou atrasar horários de outros comboios para deixar passar o fretado pelo PS; que a companhia tem recusado outros serviços similares e de que terá suprimido o comboio Mira Douro para que a locomotiva fosse usada no comboio do PS.

Num texto assinado à cabeça pelo deputado Hélder Amaral e ao abrigo da lei, os centristas perguntam: “O PS teve ou não tratamento privilegiado por parte da CP nas condições de fretamento do comboio especial?”; “É ou não verdade que esse serviço obrigou ao suprimento de outros comboios e/ou serviços? Se sim, quais?”; e “é ou não verdade que esse serviço obrigou a atrasos no(s) serviço(s) regular(es) da CP? Se sim, quais?”.

Recorde-se que a CP – Comboios de Portugal admitiu que aceitava “atrasos” noutras ligações e serviços operados por si para garantir que o comboio fretado pelo Partido Socialista (PS) faça o percurso entre o Pinhal Novo, em Setúbal, e Caminha, em Viana do Castelo, para a festa do partido que tem lugar este sábado.

O PÚBLICO noticiou que a empresa não realiza este ano os comboios do Benfica e tem recusado comboios especiais por falta de material circulante, mas que aceitou fretar um comboio ao PS