Viu o Top Gun em criança e tornou-se a primeira piloto da Força Aérea do Japão

O Japão, onde a desigualdade de género é alta, está a ser obrigado a eliminar as restrições que existem no acesso das mulheres a várias profissiões.

A japonesa de 26 anos espera inspirar mais mulheres a assumir cargos no Exército
Foto
A japonesa de 26 anos espera inspirar mais mulheres a assumir cargos no Exército Força Aérea do Japão

Misa Matsushima estava ainda na escola primária quando viu o filme Top Gun pela primeira vez. A história do jovem piloto Maverick, interpretado pelo actor norte-americano Tom Cruise, que conta a entrada do piloto na Academia Aérea norte-americana, cativou-a de tal forma que nesse momento decidiu que queria ser piloto. Esta quarta-feira, com 26 anos, tornou-se a primeira mulher a pilotar um avião de combate da Força Aérea no Japão.

“Desde que vi o Top Gun ainda na escola primária que sempre admirei pilotos de combate”, contou ao jornal britânico The Guardian.

Durante anos, o sonho de Misa Matsushima parecia estar numa gaveta. Pelo menos em relação aos caças de combate. Apesar de permitir a entrada de mulheres na Força Aérea, o Japão restringia o acesso a caças de combate e aviões de reconhecimento. A restrição — em vigor desde 1993 — foi eliminada pelo primeiro-ministro Shinzo Abe, no final de 2015.

Esta quarta-feira, a primeiro-tenente Misa Matsushima completou o treino de voo num F-15, tornando-se pioneira no seu país. O momento foi assinalado pela Força Aérea do Japão na rede social Twitter. “Nasceu a primeira piloto de combate da Força Aérea”, lê-se na legenda que acompanha o momento em que Matsushima recebeu o seu certificado.

"Quero continuar a trabalhar para cumprir o meu dever. Não só por mim, mas por todas as mulheres que irão seguir este caminho no futuro", vincou Matsushima, que espera inspirar mais mulheres a prosseguirem carreira de piloto. A imprensa japonesa conta que existem pelo menos mais três mulheres em formação.

O Japão foi obrigado a abolir várias restrições de acesso ao mercado de trabalho às mulheres, sempre relegadas para o seu papel tradicional, para combater o grande envelhecimento da população e a falta de pessoas em idade activa.

No Exército japonês, a presença de mulheres continua a ser baixa. No total de soldados japoneses, apenas 6% são mulheres. O Exército espera aumentar este número para 9% nos próximos 12 anos. Também no início deste ano, Ryoko Azuma, de 44 anos, tornou-se a primeira mulher a comandar um esquadrão de navios de guerra.

O sonho de Matsushima cumpre-se no mesmo ano em que a sequela de Top Gun está a ser gravada. Para a sequela de Ases Indomáveis está já confirmado o regresso de Tom Cruise, como Maverick, e de Val Kilmer, como Iceman.