Deslizamentos e inundações atingem o Havai com a aproximação do furacão Lane

A categoria do furacão diminuiu de 4 para 3, mas os ventos continuam superiores a 200 quilómetros por hora. O Governo apela às pessoas que se preparem para os próximos dias.

Fotogaleria
LUSA/BRUCE OMORI
Fotogaleria
Reuters/NASA
Fotogaleria
LUSA/BRUCE OMORI
Fotogaleria
LUSA/BRUCE OMORI
Fotogaleria
LUSA/BRUCE OMORI

O furacão Lane atingiu o Havai nesta quinta-feira, com ventos de 200 quilómetros por hora e chuvas torrenciais, provocando inundações e deslizamentos de terras. Os habitantes tiveram de se proteger de ondas fortes provocadas pela tempestade. O furacão está a passar a sul da grande ilha do Havai e deverá seguir para as ilhas de Maui e Oahu.

Nas últimas horas, o furacão perdeu intensidade e desceu para a categoria 3, o terceiro nível mais grave na escala de cinco graus de Saffir-Simpson. Apesar da distância do centro do furacão em relação à ilha, a sua passagem está a ser fortemente sentida pelos habitantes.

“Estará muito perto das ilhas havaianas e terá um grande impacto. Não é preciso um contacto directo para ter grandes efeitos. Haverá muita chuva em todas as ilhas nos próximos dias”, explicou Steve Goldstein, do Serviço Nacional de Meteorologia dos EUA. 

O estado de alerta mantém-se e o Governo local apela a que as pessoas evitem “viagens desnecessárias”. Também os turistas foram avisados para se manterem afastados de alguns pontos populares, como quedas de água e grutas.

Além do encerramento de escolas públicas e estradas, o Havai preparou-se para a passagem do furacão: muitos habitantes isolaram as casas com tábuas de madeira e correram para os supermercados para se abastecerem com água e alimentos.

O governador do Havai, David Ige, apelou à população que se abasteça com água, alimentos e medicamentos suficientes para 14 dias. O Governo local está a organizar abrigos para garantir a segurança de todos os habitantes e turistas na região.

“Estamos a dizer a toda a gente para levar a tempestade a sério. Para estarem preparados para enfrentar o que vai ser um período de chuva prolongado”, avisou Andrew Pereira, porta-voz da capital e a cidade mais populosa do estado norte-americano do Havai, Honolulu.

O Centro Nacional de Furacões alertou para o risco de os níveis de água subirem entre um e 1,5 metros acima do normal ao longo da costa ocidental da Ilha Grande. São esperadas ainda “numerosas evacuações e resgates”, diz o mesmo centro, consultado pela Reuters.

Entretanto, o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, emitiu uma declaração de desastre para o Havai e informou que as autoridades estão a acompanhar a situação com as equipas de resposta no local.

Desde 1959 que só quatro tempestades dignas de nota afectaram as zonas povoadas do arquipélago. A última – e mais poderosa já registada – atingiu a ilha de Kauai, a 11 de Setembro de 1992. O Iniki estava classificado na categoria 4 e causou a morte de seis pessoas. Causou estragos a mais de 14 mil casas.