CP nega comboio especial ao Benfica, mas disponibiliza-o a militantes do PS

Empresa não realiza este ano os comboios do Benfica e tem recusado comboios especiais por falta de material circulante. Leva, porém, militantes do PS à festa do partido em Caminha.

Foto
Nelson Garrido

O PS alugou à CP um comboio para fazer a viagem de ida e volta entre Pinhal Novo e Caminha, transportando assim militantes da Margem Sul, Lisboa e outros locais ao longo da linha do Norte até ao Alto Minho para assistir à festa da rentrée.

A iniciativa está em linha com os princípios defendidos pelo Governo acerca do uso dos transportes públicos e da sustentabilidade ambiental e descarbonização. Um comboio com sete carruagens substitui 15 autocarros e é um transporte mais seguro, além de permitir o convívio entre passageiros que partilham os mesmos ideais.

Mas este comboio especial assume características mais especiais por a CP estar debaixo de fogo devido à situação de ruptura da sua frota, incapaz de assegurar o serviço regular – uma crise que tem provocado imensos atrasos e supressões de comboios e que colocou a empresa debaixo de forte pressão mediática e política este Verão.

É por falta de material que a CP não vai este ano realizar os comboios especiais do Benfica que, a cada 15 dias, traziam milhares de adeptos de todo o país ao estádio da Luz – uma operação que já era uma rotina e que tinha sido um sucesso nos últimos anos.

Pelos mesmos motivos a APAC (Associação Portuguesa dos Amigos dos Caminhos de Ferro) não conseguiu alugar um comboio com máquina e carruagens para a sua festa de aniversário em Outubro, tendo-se de cingir a um passeio numa simples automotora eléctrica. E até os entusiastas ingleses do PTG (Portuguese Traction Group), que desde 1998 organizam viagens ferroviárias em Portugal, tiveram este ano dificuldades em organizar a sua.

Na linha do Oeste a CP já não aceita reservas para viagens de grupo por não saber se consegue assegurar a sua oferta regular.

Há cinco anos, quando a transportadora pública estava ainda longe da situação de ruptura que hoje vive, os comboios charter estavam em crescimento, com empresas, escolas, municípios e associações a alugarem composições. Em 2013 a empresa organizou 113 comboios especiais que transportaram nesse segmento de mercado 52.755 passageiros.

Grandes empresas e alguns bancos encontram-se entre os clientes habituais da CP para este tipo de serviços. E nos últimos anos o PCP não falha o aluguer de um comboio especial para Foros de Amora, a estação ferroviária mais perto da Festa do Avante!.

Apesar de o contrato ter sido feito entre uma empresa pública e um partido político, a CP recusou divulgar quanto custou o aluguer do comboio do PS, alegando que “se trata de condições comerciais acordadas directamente com os clientes”. O diário digital Observador refere que foram 13 mil euros.