Danny Boyle já não vai realizar o novo James Bond

“Diferenças criativas” são o motivo apontado para a saída. Não há ainda indicação acerca de quem substituirá o realizador.

Foto
Danny Boyle NEIL HALL

O cineasta britânico Danny Boyle retirou-se do próximo filme da saga James Bond, que deveria realizar, informaram na terça-feira os produtores deste franchise de muitos milhões de dólares. “Michael G. Wilson, Barbara Broccoli e Daniel Craig anunciaram que devido a diferenças criativas Danny Boyle decidiu que já não realizará o 25.º Bond”, lê-se num comunicado disponível no site oficial e na conta Twitter do franchise.

Não foi acrescentada nenhuma informação adicional acerca do teor dessas diferenças nem sobre quem substituirá Boyle na realização. Também fica por esclarecer se a produção do 25.º filme desta saga de espionagem da MGM sofrerá algum atraso.

Os representantes do realizador em Los Angeles e em Londres não responderam ao pedido da Reuters para que comentasse a sua saída.

A produção deste filme ainda sem título deveria arrancar em Dezembro. A estreia estava prevista para 25 de Outubro de 2019 em Londres e duas semanas depois nos Estados Unidos.

Boyle, que arrebatou oito Óscares com o filme Quem Quer Ser Bilionário? (2008), foi apresentado em Maio como o realizador do próximo filme James Bond. Na altura, os produtores Barbara Broccoli e Michael G. Wilson descreveram-no como “excepcionalmente talentoso”. Daniel Craig fora previamente apontado como o actor que interpretaria (no caso, pela quinta vez) o famoso espião do MI6.

O franchise James Bond é um dos filões mais rentáveis da indústria cinematográfica. O último episódio da saga, Spectre (2015), realizado por Sam Mendes, rendeu 880 milhões de dólares na bilheteira, enquanto o anterior Skyfall (2012), também dirigido por Mendes, fez mais de mil milhões de dólares.

A saída do realizador vem na sequência de intensa especulação acerca do actor que sucederá a Daniel Craig depois daquela que se estima que seja a sua última incursão na pele do agente secreto amante de Martini criado por Ian Fleming em 1953.

No início do mês, um tweet do britânico Idris Elba reacendeu os rumores de que estará na calha para ser o primeiro actor negro a encarnar James Bond. “O meu nome é Elba, Idris Elba”, publicou naquela rede social, replicando uma das frases mais idiossincráticas da personagem. Mas esta terça-feira o actor quis arrumar a conversa sobre o assunto. Instado a confirmar, na estreia do seu novo filme, Yardie, que ele próprio dirigiu, se será de facto o novo Agente 007, disse aos jornalistas que “não”.

Sugerir correcção