Asia Argento nega sexo com menor e diz ter sido Anthony Bourdain a pagar-lhe

Actriz diz que era alvo de uma "perseguição que durava há muito" por parte do jovem actor. "Nunca tive uma relação sexual com Bennett."

Foto
REGIS DUVIGNAU/REuters

A actriz e realizadora italiana Asia Argento falou esta terça-feira pela primeira vez sobre as acusações de que é alvo, negando ter mantido relações sexuais com um jovem actor de então 17 anos. "Nunca tive uma relação sexual com [Jimmy] Bennett", diz, enquadrando o caso numa "perseguição que durava há muito".

Argento, num comunicado enviado a um jornalista, diz-se "profundamente chocada e magoada" pelos dados revelados pelo New York Times, publicados a partir de documentação e imagens que indicavam a existência da acusação de uma relação sexual e de um processo litigioso entre os dois actores. 

Argento, que fez chegar o comunicado pelo menos ao jornalista Yashar Ali, conta que a sua "apenas amizade" com Jimmy Bennett, com quem filmou em 2004 o filme The Heart Is Deceitful Above All Things, terminou em Novembro de 2017. "Quando, subsequentemente à minha exposição [pública] no caso Weinstein, Bennett – que estava a passar por graves problemas económicos e que tinha antes disso levado a cabo acções legais contra a sua própria família pedindo milhões de indemnização – inesperadamente me fez um pedido exorbitante de dinheiro", precisa o comunicado, citado pelo jornalista que é colaborador da revista New York e do Huffington  Post.

Jimmy Bennett pedia inicialmente 3 milhões de euros, segundo a notícia do New York Times, e as partes terão chegado a acordo para um pagamento de 332 mil euros. 

"Bennett conhecia o meu namorado, Anthony Bourdain, que era um homem visto como sendo rico e que tinha a sua própria reputação como figura pública amada a proteger", detalha, dizendo que o chef e divulgador de cozinha que se suicidou em Junho temia "a publicidade negativa" que Bennett, "que considerava perigoso", poderia trazer ao par. "Anthony tratou pessoalmente de ajudar Bennett economicamente, sob condição de que não se intrometesse mais nas nossas vidas."

A actriz está desde as últimas horas de domingo (madrugada de segunda-feira em Portugal) no centro de uma pequena tempestade #MeToo que tem servido para discutir a força e vulnerabilidade do movimento quando uma das suas vozes centrais surgia como uma potencial agressora e não apenas vítima.

A notícia do New York Times referia já os problemas financeiros e os processo legais de Bennett contra os seus pais, bem como que tentara contactar tanto Bennett quanto Argento e que esta não reagiu aos pedidos de esclarecimento. Bennett associava os seus problemas financeiros aos danos psicológicos sofridos após o alegado encontro sexual entre os dois em 2013. Argento tornou-se numa das mais visíveis acusadoras de Harvey Weinstein em Outubro de 2017, quando Bennett decidiu processá-la. 

O diário, que publicou as primeiras investigações sobre as acusações sobre Harvey Weinstein, diz ter confirmado a autenticidade dos documentos junto de três fontes. Estes foram-lhes enviados anonimamente num email encriptado e incluíam quatro imagens, das quais apenas uma mostrava os rostos dos dois actores, juntos e de tronco nu. O jornal detalhava ainda que inicialmente fora o advogado de Bourdain e não a habitual representante legal da actriz a tratar do caso com Bennett. 

O New York Times escrevia que as cartas a que teve acesso eram endereçadas a Argento, mas usavam os mesmos termos agora empregues pela actriz para descrever a verba de 332 mil euros que fazia parte do acordo: destinava-se a “ajudar Bennett”. Do artigo consta também a informação de que o mesmo advogado, Richard Hofstetter, há muito o representante legal de Bourdain e que na altura representava também Argento, recebeu em Novembro a notificação de que Bennett tencionava processar Argento pela alegada agressão sexual num hotel em Marina del Rey, na Califórnia. A informação veiculada pelo diário refere ainda que depois disso foi Carrie Goldberg, a advogada pessoal de Argento, a tratar do assunto.

A descrição do alegado acto sexual, numa data em que Argento tinha 37 anos e o jovem actor 17, provém da documentação que relata a versão de Bennett dos acontecimentos. O jornal encontrou registos nas redes sociais de ambos do dia do encontro e posteriores que não mostravam animosidade. 

Asia Argento termina a nota dizendo que vai "tomar todas as iniciativas necessárias a curto prazo" para sua "protecção" em várias instâncias.